EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Primeiro-ministro eslovaco está consciente e consegue comunicar, diz Presidente eleito

O Presidente eleito, Peter Pelligrini, e a Presidente cessante, Zuzana Caputova, apelaram para que sociedade "mantenha a calma", numa declaração conjunta
O Presidente eleito, Peter Pelligrini, e a Presidente cessante, Zuzana Caputova, apelaram para que sociedade "mantenha a calma", numa declaração conjunta Direitos de autor AP Photo
Direitos de autor AP Photo
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Peter Pelligrini visitou esta quinta-feira o primeiro-ministro da Eslováquia no hospital e conseguiu falar com Robert Fico durante alguns minutos.

PUBLICIDADE

O primeiro-ministro da Eslováquia continua internado no hospital de Banska Bystrica, mas já não corre perigo de vida. Robert Fico está estável, mas ainda em estado crítico.

De acordo com a diretora do hospital, Miriam Lapunikova, Fico, que teve de ser submetido a uma operação de urgência que durou várias horas, permanece na unidade de cuidados intensivos e a recuperação será demorada.

O presidente eleito eslovaco, Peter Pellegrini, visitou esta quinta-feira o primeiro-ministro no hospital e adiantou que Fico está consciente e consegue comunicar verbalmente.

Pellegrini referiu que só conseguiu falar com Fico durante alguns minutos, uma vez que o líder do governo eslovaco está muito cansado e sob o efeito de medicação.

"Devo dizer que o seu estado de saúde é ainda muito sério, e só me foi permitido falar com ele por alguns minutos, porque sua condição atual realmente requer paz e tranquilidade sem quaisquer outras distrações externas", revelou o novo chefe de Estado, que tomará posse no próximo mês.

Apesar do burburinho político, tudo parece muito calmo em Bratislava, e ninguém diria que o país está à beira de uma guerra civil, como afirmou o ministro da Administração Interna na quarta-feira à noite. No entanto, nos bastidores políticos ainda reina muita preocupação quanto à saúde do primeiro-ministro.

E as tensões parecem ter aumentado depois de o governo eslovaco ter acusado a imprensa e a oposição pelo ataque a Fico.

Segundo o ministro do Administração Interna, Matús Sutaj-Estok, o atirador confessou ter agido com base em informações a que teve acesso nos meios de comunicação. O agressor culpa o primeiro-ministro pela abolição da Procuradoria Especial, pela cessação da ajuda militar à Ucrânia, pela interferência na televisão pública e pela remoção do presidente do Conselho Judicial.

O ministro sugeriu ainda que haverá repercussões para os meios de comunicação. "Digo isto a todos, especialmente a todos os 'mestres do mundo' atrás do teclado, que agiremos com firmeza e intransigência", prometeu.

Por seu lado, a Presidente cessante Zuzana Caputova e Peter Pellegrini, que venceu as últimas eleições presidenciais, mostraram uma frente unida e pediram calma.  

"Queremos apelar a todos para que sejam responsáveis. Vamos sair do círculo vicioso de ódio e acusações mútuas. O que aconteceu ontem foi um ato individual, mas a atmosfera tensa de ódio foi obra coletiva", declarou Zuzana Caputova.

O Presidente eleito, Peter Pellegrini, também apelou aos partidos políticos eslovacos para suspenderem ou reduzirem a campanha para as eleições europeias para não alimentarem mais confrontos. "É a última coisa que a Eslováquia precisa neste momento", avisou.

Fico foi baleado na quarta-feira, à saída de uma reunião do Conselho de Ministros na cidade de Handlová, por um homem de 71 anos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Eslovacos condenam ataque contra o seu primeiro-ministro

Primeiro-ministro da Eslováquia já não corre perigo de vida

Primeiro-ministro eslovaco Robert Fico deve sobreviver, diz vice-primeiro-ministro