EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

China volta a castigar mercados mundiais

China volta a castigar mercados mundiais
Direitos de autor 
De  Ricardo Figueira
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

As bolsas de todo o mundo fecharam no vermelho, esta quinta-feira.

PUBLICIDADE

A cena dos últimos dias repetiu-se, esta quinta-feira, nas bolsas de todo o mundo, que estiveram em queda, castigadas pela situação económica na China.

Os mercados da Europa fecharam no vermelho, com descidas de mais de 1,5% nos índices principais. O Dax, de Frankfurt, foi um dos mais penalizados, ao perder mais de 2%.

As bolsas norte-americanas estiveram também no vermelho. O Dow Jones e o Nasdaq passaram o dia a negociar com quedas acima de 1%.

“Há muita preocupação com o abrandamento económico da China, com esta desvalorização e com o que isso representa para esta economia. Muitos investidores estão preocupados com o rumo do crescimento chinês, já em agosto tinha acontecido algo semelhante”, explica o analista de mercados Leo Grohowski.

Na bolsa de Xangai, as transações foram suspensas ao fim de apenas meia hora de abertura, quando o índice principal estava a cair mais de 7%. Foi a segunda vez esta semana que isso aconteceu. Agora foi a decisão do Banco Central da China de desvalorizar a moeda nacional, o yuan, que esteve por detrás destas quedas.

Em Tóquio, o índice Nikkei perdeu mais de 2%. O Hang Seng, de Hong Kong, desceu mais de 3%.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

BCE mantém as taxas de juro inalteradas, uma vez que o controlo da inflação continua a ser fundamental

O sentimento económico da Alemanha desce mais do que o esperado: A recuperação está em risco?

A reeleição de Trump poderá afetar a economia europeia em 150 mil milhões de euros