EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

EUA: Economia abranda mas mercado de trabalho deixa antever um futuro radioso

EUA: Economia abranda mas mercado de trabalho deixa antever um futuro radioso
Direitos de autor 
De  Marco Lemos com REUTERS, LUSA
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Crescimento nos Estados Unidos fica abaixo das previsões, mas a pujança do mercado de trabalho dá ótimos indicadores para o resto do ano

PUBLICIDADE

Como é tradição no primeiro trimestre, o crescimento da economia americana abrandou, mas a pujança do mercado de trabalho, destacada pela Reserva Federal, deixa antever bons resultados para o resto do ano.

The US economy is slowing. Here's what top economists are saying about it https://t.co/OpoLA2AzKzpic.twitter.com/8EH1Lu8cvq

— Financial Times (@FT) April 28, 2016

O abrandamento do consumo e a quebra nos investimentos, em particular das petrolíferas, levaram a um crescimento, em termos anuais, de apenas 0,5% nos primeiros três meses do ano, contra 1,4% no período imediatamente anterior. O interesse está agora em conhecer os resultados do segundo trimestre, normalmente o mais forte em termos de crescimento, que no ano passado foi de 3,9%.

US economic growth slows to 0.5% in first quarter of 2016 https://t.co/UQ1l3QqlWDpic.twitter.com/NYbk7KzUmZ

— BBC Business (@BBCBusiness) April 28, 2016

Os gastos dos consumidores avançaram apenas 1,9% no trimestre, mas o rendimento disponível das famílias cresceu 2,9% e a poupança também aumentou para 712,3 mil milhões de dólares contra 678,3 mil milhões de dólares nos últimos três meses do ano passado.

US GDP growth relative to employment growth has been having one of its weakest stretches on record! pic.twitter.com/yj6JMfhyLb

— Andrew Teasdale, CFA (@depthdynamics) April 28, 2016

O investimento da indústria recuou e os gastos na exploração mineira e nos poços de petróleo e gás colapsaram com uma quebra recorde de 86%.

A desvalorização do dólar, que já recuou 2,6% este ano deixa antever uma recuperação das exportações nos três trimestres que restam este ano.

Também há quem discorde de um cenário otimista para o resto do ano:

We Called Slow US Growth (& Believe The Worst Is Coming) https://t.co/5WrxGtH0huKeithMcCullough</a> <a href="https://twitter.com/HedgeyeDDale">HedgeyeDDale#GDPpic.twitter.com/vGUUq7AxgF

— Hedgeye (@Hedgeye) April 28, 2016

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Alternativa ao lítio: Pode o manganésio substituir as baterias de lítio dos veículos elétricos?

Banco Central Europeu corta taxas de juro em linha com as expetativas do mercado

Riqueza das nações: o fosso cada vez maior entre ricos e pobres na Europa