EventsEventos
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

FMI: "Brexit" terá impacto "negativo" na economia britânica e nos mercados

FMI: "Brexit" terá impacto "negativo" na economia britânica e nos mercados
Direitos de autor 
De  Patricia Cardoso com Reuters, Lusa
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Uma eventual saída do Reino Unido da União Europeia terá um impacto “negativo” e “substancial” na economia britânica. O alerta é do Fundo Monetário

PUBLICIDADE

Uma eventual saída do Reino Unido da União Europeia terá um impacto “negativo” e “substancial” na economia britânica. O alerta é do Fundo Monetário Internacional (FMI).

Lagarde: Brexit represents a significant downside risk and is an international issue that concerns the whole world

— IMF (@IMFNews) 13 maggio 2016

No relatório sobre a situação económica britânica, a instituição alerta que um eventual “Brexit” criaria um “período prolongado de incerteza” e uma volatilidade dos mercados financeiros.

A chefe do FMI fala de um impacto entre “muito mau e muito, muito ruim”. Christine Lagarde avisa ainda que a questão não é apenas britânica: “Não é apenas uma questão doméstica. Sei que é uma grande questão para muitos de vocês, mas é um assunto internacional. Em todos os países que visitei nos últimos seis meses, foi sempre interrogada sobre as consequências económicas de um ‘Brexit’”.

O FMI estima que o Brexit poderá levar a uma queda dos preços da habitação, a uma subida do endividamento familiar e terá consequências ao nível do comércio.

Segundo Lagarde, as renegociações dos acordos comerciais poderão levar anos: “As negociações de novos acordos com a União Europeia e outros parceiros comerciais pode, a nosso ver, demorar anos, criando um período prolongado de incerteza, e quanto mais se prolongar a incerteza, mais vai pesar sobre o investimento e o crescimento”.

Para lá dos efeitos já visíveis no investimento e na contratação de pessoal, o FMI alerta também que está ameaçada a posição de Londres como centro financeiro mundial.

Lagarde concorda com o Banco de Inglaterra sobre a hipótese de uma recessão técnica da economia britânica. O banco central britânico assegura que a rutura entre Londres e Bruxelas poderá provocar uma “drástica” desvalorização de libra.

Bank of England says Brexit slowdown could lead to recession: https://t.co/DDnChFEIAgpic.twitter.com/91AvclC6tM

— Reuters Business (@ReutersBiz) 13 de maio de 2016

O FMI é uma das últimas instituições internacionais e britânicas a alertar para as consequências negativas do “Brexit”.

Para a OCDE a saída do Reino Unido da UE custará 3 mil euros a cada família britânica.

Another serious economic voice backs remaining in the EU today, as OECD</a> says <a href="https://twitter.com/hashtag/Brexit?src=hash">#Brexit</a> is like a tax. <a href="https://t.co/AUQwhKM3un">pic.twitter.com/AUQwhKM3un</a></p>&mdash; Essex Cons IN (EssexConsIN) 11 de maio de 2016

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Novo indício de que o BCE poderá vir a reduzir as taxas de juro na reunião de junho

O que está em alta e o que não está para as viagens e o turismo este ano?

Comissário europeu para a Economia sem arrependimentos apesar da reação negativa ao Pacto Ecológico