França: Fraco desempenho económico complica missão do governo

França: Fraco desempenho económico complica missão do governo
De  Patricia Cardoso com Lusa, AFP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A economia francesa registou um crescimento, embora fraco, no terceiro trimestre.

PUBLICIDADE

A economia francesa registou um crescimento, embora fraco, no terceiro trimestre.

Após a contração nos três meses precedentes, o Produto Interno Bruto progrediu 0,2% entre julho e setembro.

[#France] La #croissance à seulement +0,2% au T3-2016. L'acquis après les 9 premiers mois de l'année à +1,1%.
https://t.co/mWihslesU4#PIBpic.twitter.com/hYN1Z6NriJ

— Mickaël LE PRIOL (@mick_le_priol) 28 de outubro de 2016

Os dados do gabinete francês de estatística (INSEE) mostram uma subida desigual ao nível do comércio externo. As importações avançaram 2,2%, depois de terem caído 1,7% no segundo trimestre, e as exportações aumentaram mais levemente (0,6% face aos 0,2% do trimestre anterior).

No entanto, pelo segundo trimestre consecutivo há uma estagnação do consumo das famílias e uma contração do investimento empresarial (-0,3% como no trimestre precedente).

La consommation des ménages en biens fléchit légèrement en septembre (-0,2 %) et diminue de 0,5 % sur l'ense… https://t.co/lCszUxiJwG

— Insee (@InseeFr) 28 de outubro de 2016

Alexandre Mirlicourtois, diretor de conjuntura económica na Xerfi, não prevê uma melhoria do consumo e estima que os “efeitos da descida do preço do petróleo estão a diminuir”.

A produção total de bens e serviços cresceu 0,4%, por sua vez, face aos 0,2% do trimestre anterior, sobretudo na construção (1%) e na indústria (0,5%).

Segundo o INSEE, entre janeiro e setembro, a economia progrediu 1,1%.

O presidente François Hollande reconhece que o crescimento da segunda economia da zona euro é fraco. O ministro da Economia e Finanças vai um pouco mais longe. Michel Sapin admite que o desempenho do PIB poderia ser melhor e que será mais complicado atingir a previsão de crescimento de 1,5%, fixada para este ano.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Preço do azeite sobe mais de 50% num ano na UE, Portugal registou o maior aumento

O preço do amor: porque sai tão caro encontrar alguém?

Corredor central Ásia-Europa essencial para combater subida nos preços