EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

FMI espera que EUA cresçam mais com Trump

FMI espera que EUA cresçam mais com Trump
Direitos de autor 
De  Euronews com REUTERS, AFP, EFE
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O Fundo Monetário Internacional reviu em alta as previsões de crescimento para os Estados Unidos, particularmente, em 2018.

PUBLICIDADE

O Fundo Monetário Internacional (FMI) continua a prever que a economia mundial cresça 3,4% este ano e 3,6% no próximo, depois do abrandamento em 2016, mas reviu em alta as previsões de crescimento para os Estados Unidos, particularmente, em 2018.

O FMI espera agora que a economia norte-americana cresça 2,3% este ano, mais 0,1% do que na projeção feita em outubro. Já em 2018, a previsão é de um crescimento de 2,5%, mais quatro décimas do que anteriormente, em grande parte por causa dos efeitos que podem ter as descidas de impostos e os investimentos em infraestruturas prometidos por Donald Trump.

IMF raises US growth forecasts on expected Trump fiscal boost, also sees stronger 2017 UK growth than expected.https://t.co/Ir0ejQoUI0

— Jamie McGeever (@ReutersJamie) January 16, 2017

O economista chefe do FMI, Maurice Obstfeld, recorda contudo que, neste momento, “os detalhes da futura legislação fiscal ainda não são claros, tal como o grau de aumento líquido da despesa pública e impactos resultantes na procura, produção potencial, défice federal e no dólar”.

A organização alerta também para o perigo de medidas protecionistas por parte dos Estados Unidos, que naturalmente iriam provocar retaliações: “nesse cenário, todos os países perderiam”, afirma o FMI, que não equacionou nas projeções a possibilidade da imposição de taxas a produtos mexicanos, chineses ou de outros países.

Which countries’ growth rate is up, which ones are trimmed down? See IMF’s latest growth forecasts. #WEOhttps://t.co/yy3XuwgQEPpic.twitter.com/S6ncq0SW4i

— IMF (@IMFNews) January 16, 2017

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Alternativa ao lítio: Pode o manganésio substituir as baterias de lítio dos veículos elétricos?

Banco Central Europeu corta taxas de juro em linha com as expetativas do mercado

Riqueza das nações: o fosso cada vez maior entre ricos e pobres na Europa