EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

UE cresce a ritmos diferentes

UE cresce a ritmos diferentes
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O Eurostat divulgou uma estimativa de crescimento do Produto Interno Bruto europeu para o primeiro trismestre de 2018.

PUBLICIDADE

A economia europeia está a crescer, mas a diferentes velocidades. O Eurostat divulgou a primeira estimativa de crescimento do Produto Interno Bruto europeu de 2018.

Nos primeiros três meses,. em relação ao trimestre anterior, a União Europeia e a Zona Euro tiveram um crescimento de 0,4% .

Uma tendência positiva que também se verificou quando comparado ao mesmo período do ano anterior, com a União Europeia a registar um crescimento de 2,4% e a Zona Euro de 2,5%

Entre as economias com um crescimento mais lento está o Reino Unido.

No primeiro trimestre registou um aumento de 0,1% do Produto Interno Bruto em relação ao trimestre anterior e de 1,2% em comparação ao primeiro trimestre do ano passado

O mau tempo foi a causa apontada pelo Banco de Inglaterra para este abrandamento.

Num outro comunicado, o Departamento Nacional de Estatística do Reino Unido revelou que os salários subiram 2,9 pontos percentuais, nos primeiros três meses de 2018. Um aumento mais rápido que o da inflação, pela primeira vez em mais de um ano.

Todas as economias europeias cresceram em 2017 e, de acordo com o último relatório do FMI, a perspetiva a curto-prazo é favorável.

Mas para que esta evolução se mantenha positiva, o Fundo Monetário Internacional defende que os países europeus vão ter de aliviar algumas restrições estruturais ao crescimento, como limitações ao investimento ou a perda de competitividade.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Eurostat faz retrato de uma Europa desigual

O que está em alta e o que não está para as viagens e o turismo este ano?

Comissário europeu para a Economia sem arrependimentos apesar da reação negativa ao Pacto Ecológico