EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Greta Thunberg vs Donald Trump: Duelo em Davos

Greta Thunberg vs Donald Trump: Duelo em Davos
Direitos de autor ASSOCIATED PRESS
Direitos de autor ASSOCIATED PRESS
De  Ricardo Figueira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A ativista e o presidente norte-americano não se encontraram, mas travaram um duelo de palavras. Trump diz que os ativistas do clima são "profetas da desgraça".

PUBLICIDADE

Depois de se terem cruzado na ONU e do célebre olhar mortífero lançado por Greta Thunberg a Donald Trump, os dois voltaram a estar no mesmo local, desta vez em Davos, mas não se cruzaram. No discurso perante o Fórum Económico Mundial, a jovem ativista sueca, eleita pessoa do ano 2019 pela revista Time, criticou não só os Estados Unidos, como todos os principais governos do mundo por estarem a falhar as promessas do acordo de Paris: "O facto de os Estados Unidos estarem a deixar o acordo de Paris parece estar a enraivecer e a preocupar toda a gente - e ainda bem. Mas o facto de estarmos todos a falhar aquilo que foi assinado nesse acordo não parece preocupar, nem um bocadinho, as pessoas que estão no poder", disse.

"A nossa casa continua a arder", disse Thunberg.

As manifestações contra o presidente norte-americano ficaram fora de Davos, mas isso não impediu um cartaz anti-Trump nas montanhas, durante a viagem de helicóptero até à estância nos Alpes Suíços. No discurso, defendeu a posição americana e criticou os ativistas do clima, a quem chama "profetas da desgraça".

"É altura para uma enorme esperança, alegria, otimismo e ação. Mas para abraçar o que o amanhã nos oferece, temos de rejeitar os perenes profetas da desgraça e suas previsões apocalípticas", disse o presidente dos EUA.

Donald Trump anunciou que os Estados Unidos se iriam juntar à iniciativa mundial de plantar um bilião de árvores para ajudar a absorver o dióxido de carbono da atmosfera. Greta Thunberg respondeu dizendo que "plantar árvores é importante, mas o mais urgente é cortar as emissões".

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Empresários em Davos mais atentos às oportunidades do ambiente

Elon Musk obtém apoio dos acionistas para um pacote salarial de 52 mil milhões de euros

China já reagiu a decisão de União Europeia sobre tarifas nos carros elétricos