Eurogrupo prepara-se para nova maratona negocial

Eurogrupo prepara-se para nova maratona negocial
Direitos de autor CARLOS COSTA / AFP
De  Patricia Tavares
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Haia no centro do impasse da resposta da União Europeia à crise sanitária.

PUBLICIDADE

Depois de uma reunião de 14 horas entre os ministros das Finanças da UE que terminou sem acordo, a pressão está sobre os Países Baixos e Itália para a resolução das diferenças sobre os termos das linhas crédito de emergência, para combater o surto de coronavírus. O conflito acabou com as esperanças de um acordo e o Eurogrupo fará uma nova tentativa esta quinta-feira.

Eurobonds ou nada - é esta a posição do governo italiano que não está disposto a negociar com a Europa. A questão dos títulos europeus comuns aos quais alguns países do norte se opõem corre o risco de minar a confiança num único projeto europeu, não só entre entre os Italianos que são tradicionalmente a UE, mas também entre aqueles que se posicionam como euro-entusiastas.
Giorgia Orlandi
euronews

O ministro das finanças da Alemanha, diz buscar "um bom compromisso para todos os cidadãos" mas sente algum desconforto relativamente aos eurobonds:

Creio que está absolutamente claro que a recuperação da Europa será uma grande operação que temos de organizar juntos. E, como todos sabem, acho que é perfeitamente possível fazê-lo dentro da estrutura que já temos.
Olaf Scholz
Ministro das Finanças da Alemanha

Os ministros das finanças de Itália e os Países Baixos cultivam profundas diferenças sobre a criação de empréstimos com o fundo de resgate do euro no valor de mais de 500 mil milhões de euros.

Itália não pretende assumir promessas futuras de reformas económicas ao Mecanismo Europeu de Estabilidade e pretende um acesso aos empréstimos livre de condições, mas os Países Baixos não abdicaram das garantias.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Diretor executivo da Web Summit, Paddy Cosgrave, confirma regresso após comentários sobre Israel

Crise de emprego na UE: Candidatos não têm as competências adequadas

Sam Bankman-Fried, magnata das criptomoedas, condenado a 25 anos de prisão