Reino Unido pretende impor quarentena de 14 dias a passageiros

Reino Unido pretende impor quarentena de 14 dias a passageiros
Direitos de autor Frank Augstein/AP
De  Patricia Tavares
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Viajantes que entram no país por via aérea sujeitos à medida.

PUBLICIDADE

O governo Boris Johnson pretende impor um período de quarentena de 14 dias a todos os passageiros que chegam ao Reino Unido por via aérea.

Para impedir uma nova infeção vinda do estrangeiro notifico que em breve será o momento - com uma cadeia de transmissão significativamente menor - de impor a quarentena às pessoas que chegam a este país por via aérea.
Boris Johnson
Primeiro-ministro britânico

"O governo vai exigir que todas as chegadas internacionais que não fazem parte de uma pequena lista de isenções se auto-isolem durante 14 dias após a chegada ao Reino Unido"

"Estas medidas relativas às viagens internacionais não entrarão em vigor a 13 de maio, mas serão introduzidas o mais rápido possível" - é este o plano do governo do Reino Unido.

Estas medidas influenciam a estratégia do ainda Presidente Executivo do International Airlines Group, uma holding composta por várias companhias aéreas incluindo a British Airways, Iberia, Vueling, Aer Lingus e Level. Willie Walsh garantiu que terá de rever os planos das operações se a medida for imposta, já que a quarentena vai limitar a procura.

"Os anúncios de ontem da imposição de um período de quarentena de 14 dias para entrar no Reino Unido vai, definitivamente, piorar as coisas."
Willie Walsh
Presidente executivo do International Airlines Group - IAG

O aeroporto de Heathrow, em Londres, o maior da Europa, sofreu uma queda de 97% no número de passageiros em abril - o aeroporto garantiu as viagens essenciais para apenas 200 mil pessoas durante todo o mês. Muitos destes passageiros estavam a bordo dos 218 voos de repatriamento.

O Presidente executivo do aeroporto de Heathrow, John Holland-Kaye, defende uma estratégia urgente para reabrir as fronteiras assim que a doença for ultrapassada e o estabelecimento de um padrão internacional comum para a saúde na aviação.

Heathrow não espera numa recuperação do tráfego aéreo, a curto prazo, devido às medidas anunciadas.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Os segredos da cidade "mais verde" do mundo

Mercedes-Benz recolhe 250 000 veículos devido a risco de incêndio

Uber Eats altera anúncio polémico da Super Bowl por brincar com alergias alimentares