Fazer dos resíduos de papel um recurso

Em parceria com The European Commission
Fazer dos resíduos de papel um recurso
Direitos de autor euronews
De  Paul Hackett
Partilhe esta notícia
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Com a ajuda de um especialista, tentamos perceber como os resíduos de papelm celulose e madeira podem ser usados de forma positiva.

A indústria europeia de papel e celulose é a segunda maior do mundo. Dados de 2014 mostram que o setor produziu mais de 130 milhões de toneladas - isto é, cerca de 23% da produção mundial. Estima-se que 11 milhões de toneladas desse total acabaram como resíduos não recicláveis.

O projeto PaperChain da UE visa aproveitar este material de resíduos de papel para que possa ser utilizado como recurso noutras indústrias, tais como a construção e mineração.

Para saber mais sobre como os resíduos de papel e outros materiais derivados da madeira estão a ser aproveitados para substituir combustíveis fósseis como o carvão e o petróleo, o Business Planet falou com Johan Elvnert, secretário-geral da plataforma tecnológica europeia Forest-based Sector.

Paul Hackett, Euonews: A indústria da celulose e do papel é bastante intensiva em recursos, o sector está a transformar-se para se tornar mais sustentável?

Johan Elvnert: A indústria de pasta e papel da UE recicla cada fibra de papel tantas vezes quanto possível hoje em dia mas, no final, a fibra é simplesmente demasiado curta para voltar a ser utilizada e os resíduos como tinta, cargas minerais ou alimentos presos dentro de um saco de papel que se deita fora, acumulam-se. O que não pode ser utilizado para produtos é maioritariamente queimado para energia, mas a indústria está a trabalhar arduamente para utilizar os resíduos de hoje para os produtos de amanhã. O projeto PaperChain é um exemplo muito bom disto. Outro exemplo é o cultivo de alimentos para pisciculturas usando a água de tratamento das fábricas de celulose. Portanto, o melhor não é pensar nisto como um desperdício, mas sim como um recurso.

O melhor é não pensar nos resíduos como um desperdício, mas como um recurso.
Johan Elvert
Secretário-geral, Forest-based Sector

Acha que estamos a assistir a uma nova era da madeira?

A madeira é fantástica e renovável. As pessoas têm muitas ideias interessantes para substituir os materiais fósseis por madeira. Por exemplo, os investigadores estão a desenvolver madeira transparente que poderia substituir o vidro e algumas aplicações. Mas também fico muito feliz quando vejo produtos tradicionais, como sacos de papel, de regresso ou edifícios que utilizam madeira e assim armazenam o carbono nas cidades.

Não se dá o caso de alguns destes materiais de base biológica serem demasiado caros neste momento e por isso não estarem a ser substituídos por combustíveis fósseis?

É verdade que, uma vez que o petróleo é tão barato, as pessoas já descobriram como utilizá-lo para quase tudo. Infelizmente, isto cria resíduos e liberta dióxido de carbono para a atmosfera. As pessoas estão conscientes destes problemas e querem alternativas. No setor de base florestal estamos a descobrir como fornecer isto. E, temos, por exemplo, têxteis à base de madeira e produtos químicos verdes usados em produtos de saúde. Por isso, estamos a colmatar a lacuna.

Não deveríamos estar a proteger as florestas em vez de cortar mais?

"Eu próprio sou proprietário de uma floresta familiar, por isso sei que é possível usar a floresta e protegê-la ao mesmo tempo. Assim, os meus avós plantaram as árvores, eu vou colher e plantei as árvores que as gerações vindouras vão colher. É muito gratificante ver a vida selvagem, como alces e javalis a viver na nossa floresta. E quando derrubamos uma árvore, sabemos que vai ser usada em produtos sustentáveis que as pessoas vão usar.

Partilhe esta notícia

Notícias relacionadas

Impressão de recibos deixa de ser obrigatória em França

As cidades inteligentes na Europa