Najah al-Bukai transforma sofrimento em arte

Najah al-Bukai transforma sofrimento em arte
De  Bruno Sousa
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Artista sírio desenha de memória as suas experiências nos centros de detenção governamentais

PUBLICIDADE

Por vezes o sofrimento e a arte andam de mãos dadas e Najah al-Bukai é exemplo disso mesmo. O artista sírio, exilado em França, transforma a memória de duas passagens pelos terríveis centros de detenção governamentais em documentos que têm tanto de histórico quanto de artístico.

O resultado é uma obra assumidamente política: "Sinto que é meu dever continuar a revolução. Desenhar e denunciar o que vi nas prisões sírias é uma forma de dar continuidade à revolução. Se o deixasse de fazer, estaria a baixar os braços e a dizer a Bashar al-Assad que tinha ganho a guerra contra nós.

Najah al-Bukai promove o seu trabalho através da Caravana Cultural Síria, uma comunidade de artistas exilados que viaja pela Europa para dar a conhecer o drama que se vive diariamente no seu país.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Nomeados para Prémio Turner no Tate Britain

A exposição de Burtynsky na Saatchi Gallery "abre a cortina" sobre o impacto da humanidade na Terra

A floresta foi a inspiração da nova exposição do fotógrafo francês Vincent Munier