EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

"Nomadland" triunfa nos Óscares da pandemia

Chloé Zhao ganhou as estatuetas de melhor filme e melhor realizadora
Chloé Zhao ganhou as estatuetas de melhor filme e melhor realizadora Direitos de autor Chris Pizzello/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved.
Direitos de autor Chris Pizzello/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved.
De  Euronews
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A realizadora Chloé Zhao tornou-se na primeira chinesa e segunda mulher a conquistar o Óscar por melhor filme em 93 edições da Academia das Artes pela realização do filme sobre uma mulher forçada a ser "nómada", devido à crise económica.

PUBLICIDADE

E o vencedor dos óscares foi Chloé Zhao, pela melhor realização e melhor filme em "Nomadland", pelicula que recebeu um terceiro galardão por melhor atriz.

A realizadora, primeira chinesa e segunda mulher a conquistar o Óscar por melhor filme em 93 edições da Academia das Artes e Ciências Cinematográficas, conta onde foi buscar inspiração. "Quando nascem, as pessoas têm uma bondade inata e essa dizer chinês teve um grande impacto quando era criança. E ainda acredito nisso hoje, mesmo que se possa acreditar no contrário. Mas eu sempre encontrei bondade nas pessoas que conheci em todos os locais que eu visitei no mundo", declarou durante a entrega de um dos galardões.

"Nomadland - Sobreviver na América", retrata a vida de uma mulher, vítima da grande depressão económica, que decide fazer-se à estrada, com o estilo de vida de nómada dos tempos modernos.

A película valeu à norte-americana Frances McDormand a terceira estatueta dourada da carreira depois de Fargo (1996) e de Três Cartazes à Beira da Estrada (2017).

"Não tenho palavras, a minha voz é a minha espada, todos nós sabemos que a espada é um trabalho... e eu gosto de trabalho", explicou perante a plateia.

O prémio para melhor ator foi para o veterano Anthony Hopkins pelo papel no filme "O Pai", que leva o público numa viagem ao perturbador mundo da demência.

Destaque ainda para o triunfo de "outra rodada", do dinamarquês Thomas Vinterberg, para melhor filme internacional.

"A sabedoria do polvo" ou "professor polvo", no Brasil, venceu na categoria de melhor documentário.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Óscares 2022: "CODA" é o melhor filme, o bis de Jane Campion e a estalada de Will Smith

Óscares mudam de casa

"A Sabedoria do Polvo" nomeado para os Óscares