This content is not available in your region

Novo filme de Yorgos Lanthimos em estreia na Ópera Nacional da Grécia

euronews_icons_loading
Cena do filme "Bleat." -
Cena do filme "Bleat." -   -   Direitos de autor  Euronews
De  Euronews

Bleat, o novo filme do cineasta grego, Yorgos Lanthimos, está em estreia esta sexta-feira na Ópera Nacional da Grécia. Trata-se de um filme mudo, acompanhado por uma orquestra ao vivo e um coro.

A curta-metragem foi realizada a convite da Ópera Nacional no âmbito do programa The Artist on the Composer [o Compositor visto pelo Artista], que explora a relação entre as artes visuais e a ópera.

A obra é protagoniza pela atriz norte-americana vencedora de um Óscar e um Golden Globe, Emma Stone, e foi filmada em Fevereiro de 2020 na ilha grega de Tinos. A atriz, que colaborou com o realizador e seu amigo no filme "A Favorita," tem confiança absoluta na sua visão artística.

É um grande privilégio poder trabalhar com o Yorgos Lanthimos, porque posso entregar-me e não preciso pensar em nada, de facto é melhor não pensar. Para além disso, ler o guião do filme foi aliciante, é um trabalho diferente de tudo o que fiz até hoje. Tive oportunidade de ir pela primeira vez a Tinos e assim que cheguei decidi imediatamente que queria fazer o filme. Penso que este é o papel mais artístico que já tive.
Emma Stone, atriz

O filme narra a história sombria e surrealista de uma jovem viúva que chora o seu marido defunto e que, depois de um momento de êxtase, o traz de volta à vida. É um filme sobre a vida e a morte, o desejo sexual e a solidão, num cenário selvagem, tanto natural como humano.

Comecei a pensar neste filme, quando estava na ilha. A paisagem em si, os animais e todo o ambiente foram uma fonte de inspiração para a história. Sempre quis fazer algo bucólico, de alguma forma. Mas queria fazer um filme que é comtemporâneo na sua relação com o bucólico. Assim, pouco a pouco descobri ambos os elementos e tentei colocá-los numa história.
Yorgos Lanthimos, cineasta

Pela primeira vez na sua carreira, o realizador debruça-se sobre a questão da tradição grega.

À medida que envelheço sinto-me mais atraído pela tradição. Olho mais para o passado, à procura de coisas que são importantes para mim, coisas a que não prestava atenção, ou a que resistia, quando era mais novo e vivia neste país. Quando olhamos à distância vemos a tradição de forma diferente.
Yorgos Lanthimos, cineasta

O filme será exibido na Ópera Nacional da Grécia nos dias 6, 7 e 8 de maio e o programa musical do filme inclui obras de J. S. Bach / Knut Nystedt e Toshio Hosokawa.