This content is not available in your region

O melhor do cinema da Ásia Central em destaque no Festival Tashkent

euronews_icons_loading
O melhor do cinema da Ásia Central em destaque no Festival Tashkent
Direitos de autor  euronews
De  Paul Hackett

Após o seu regresso no ano passado, depois de uma longa pausa, o melhor do cinema da Ásia Central voltou a estar espelhado no Festival Internacional de Cinema de Tashkent (capital do país). A edição deste ano contou com cerca de 300 personalidades  do mundo do cinema e convidados de dezenas de países.

O Uzbequistão pode não ser o primeiro lugar para onde se olha no mapa, quando se fala de cinema, mas quem pertence à indústria considera que o país é, cada vez mais, um berço de talentos cinematográficos.

Gabrielle Kelly, presidente do júri e realizadora, falou sobre a importância do evento. “Este é um festival muito famoso, o The Pearl of the Silk Road (A Pérola da Estrada da Seda). Adoro estar em lugares como este porque é aqui que se encontram histórias por descobrir, com as quais não temos tido muito contacto, portanto, tem uma energia maravilhosa", referiu.

Euronews
Gabrielle Kelly, presidente do júri do festivalEuronews

Um dos destaques mais singulares do festival é o Grande Prémio. Destinado a cineastas principiantes, todas as curtas-metragens em concurso são filmadas no Uzbequistão em apenas cinco dias. Este ano, o prémio principal foi para o realizador, actor e escritor uzbeque Timur Murodov. O seu filme, Casseta, centra-se na história de um homem idoso, que vive sozinho e é forçado a adaptar-se à vida moderna.

Timur Murodov explicou que as filmagens tiveram lugar em Bukhara e que Akrom Shakhnazarov é o realizador. Já Shakhnazarov referiu que filmar em cinco dias foi difícil, mas, ao mesmo tempo, maravilhoso.

Euronews
Timur Murodov e Akrom ShakhnazarovEuronews

Festival contou com programas educativos dirigidos aos jovens

A promoção e encorajamento de jovens talentos criativos é algo recorrente ao longo do festival. Com 60 masterclasses durante vários dias, incluindo uma do realizador francês Luc Besson, o objetivo do evento é maximizar a experiência e o know-how oferecidos.

Firdavs Abdukhalikov, diretor do festival, deu mais pormenores sobre as atividades que tiveram lugar durante o evento. 

"Criámos uma grande plataforma para programas educativos dirigidos à juventude. Pedimos aos nossos convidados, que vêm de todo o mundo, para ensinarem e darem seminários, masterclasses, formação. Isto é importante porque estes são os jovens cineastas que, amanhã, irão produzir os filmes do Uzbequistão", explicou.

Euronews
Firdavs Abdukhalikov, diretor do festivalEuronews

Projeto de animação de Timur Bekmambetov em destaque

O mais recente projeto de animação do realizador russo-cazaque, Timur Bekmambetov, Hodja, também esteve em exibição, ainda que seja apenas lançado  oficialmente em 2024. Trata-se de um conto de um burro que sonha com uma vida calma, mas que acaba por se envolver nas aventuras da personagem Hodja Nasreddin.

"O Uzbequistão é historicamente um cruzamento de caminhos entre a China, a Europa, o Irão e a Rússia. O povo uzbeque tem competências especiais para acolher. O cinema tem a importante missão de unir as pessoas e as culturas e no mundo atual isto é realmente importante", disse Timur Bekmambetov.

Euronews
Timur Bekmambetov, realizadorEuronews

Hodja é apenas uma das cerca de 30 coproduções regionais que o festival está a ajudar a promover, com o objetivo de impulsionar tanto a indústria cinematográfica do Uzbequistão, como também a da região, uma iniciativa que não passa despercebida a quem está familiarizado com o glamour de Hollywood.

"Quando se olha para o nível das pessoas convidadas, são pessoas muito sérias, que querem uma presença na indústria cinematográfica e, a julgar pelo nível dos cineastas aqui presentes, é bastante poderoso", referiu o ator Armand Assante, que esteve presente no evento.