Pela primeira vez em 100 anos, a vencedora do Miss França tem cabelo curto

Eve Gilles, a vencedora do Miss França 2024, é a primeira concorrente com cabelo curto nos 100 anos de história do concurso.
Eve Gilles, a vencedora do Miss França 2024, é a primeira concorrente com cabelo curto nos 100 anos de história do concurso. Direitos de autor ARNAUD FINISTRE/AFP or licensors
De  Anca Ulea
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Artigo publicado originalmente em inglês

O concurso de beleza francês tem trabalhado ativamente para aumentar a diversidade.

PUBLICIDADE

Pela primeira vez nos 100 anos de história do principal concurso de beleza francês, a vencedora tem cabelo curto.

Eve Gilles, de 20 anos, que venceu o concurso no fim de semana, saudou o feito como uma "vitória da diversidade".

"Ninguém vos pode dizer quem devem ser", disse à audiência.

Gilles prometeu "defender os valores das mulheres fortes". Após a sua vitória no sábado, acrescentou: "estamos habituados a ver misses bonitas com cabelo comprido, mas eu escolhi um look andrógino com cabelo curto (...) cada mulher é diferente, somos todas únicas".

Gilles, que está a estudar matemática e estatística na universidade, representa a região norte de Nord-Pas-de-Calais, sendo a quarta concorrente da região a levar para casa a coroa em 10 anos.

Miss France 2024 winner Eve Gilles was criticised online for her thin frame and short hair.
Miss France 2024 winner Eve Gilles was criticised online for her thin frame and short hair.ARNAUD FINISTRE/AFP or licensors

O rescaldo da sua vitória foi hostil. Nas redes sociais, os críticos atacaram violentamente a sua magreza, fizeram vídeos comparando-a com outras concorrentes com cabelos compridos "mais bonitos" e insinuaram que só ganhou para apaziguar a cultura "woke".

O investigador Philippe Herlin, de Paris, escreveu no X: "A Miss França não tem grande aspeto, mas diz as coisas certas. Querem apostar que no próximo ano a Miss França será trans?".

"As pessoas que me criticam por causa do meu cabelo não me incomodam, porque eu posso mudar o meu cabelo", disse Gilles ao diário francês Le Parisien numa entrevista após a vitória. "Eu escolhi este cabelo, mas não escolhi o meu corpo, nem o meu metabolismo. Não percebo como é que alguém pode criticar uma pessoa por algo que não pode mudar".

Gilles disse que quer encorajar as crianças - especialmente as raparigas - a seguir matemática e ciências. Espera que a sua própria paixão pela disciplina possa ajudar a torná-la menos intimidante.

"Para mim, há um problema com a forma como a matemática é ensinada", disse à emissora francesa TF1. "Dizem às raparigas e aos rapazes que a matemática é complicada, que a matemática é difícil, que é preciso aguentar. Não! Deveriam dizer-lhes: "Ouçam, isto é um desafio, vão divertir-se, há um problema e têm de encontrar a solução. Isso mudaria toda a dinâmica!".

Novas regras para um concurso de beleza "moderno

Este ano foi a segunda edição do concurso de Miss França desde que as regras foram alteradas, para permitir uma maior diversidade de candidatas.

O limite de idade, anteriormente fixado em 24 anos, foi suprimido. As candidatas podem agora também ser casadas, ter filhos e tatuagens visíveis. Em 2019, o concurso foi aberto a concorrentes transgénero.

The contestants of Miss France 2024 pose onstage.
The contestants of Miss France 2024 pose onstage.ARNAUD FINISTRE/AFP or licensors

Mas, na prática, as concorrentes continuavam a ser bastante homogéneas: não havia mães no palco, a idade média permanecia mais ou menos a mesma e não se viam tatuagens.

Todas as concorrentes tinham de ter pelo menos 1,70 metros de altura para poderem competir (uma questão de enquadramento da câmara, segundo os organizadores). E apesar de não haver limite de peso para o concurso, não havia uma única concorrente de tamanho grande.

O cabelo curto de Gilles era o único atributo físico que podia ser considerado remotamente "vanguardista".

Mas a jovem rainha da beleza disse que não quer ser conhecida exclusivamente "como a Miss de cabelo curto".

"Quero ser uma mulher forte, quero fazer com que as pessoas percebam que, independentemente do ponto de partida, do caminho que tomem, podem atingir os seus objetivos", disse Gilles. "Quero mostrar às pessoas que as mulheres são diversas, que somos todas bonitas, que somos todas diferentes e únicas. Não sou única por causa do meu cabelo, sou única porque sou a Eva."

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Martin Scorsese recebeu Urso de Ouro honorário na Berlinale

Ridley Scott pode realizar filme biográfico dos Bee Gees

"Oppenheimer" foi o grande vencedor dos prémios de cinema britânicos