EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Parlamento Europeu reconhece Estado da Palestina

Parlamento Europeu reconhece Estado da Palestina
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

O Parlamento Europeu aprovou uma resolução na qual “apoia, por princípio, o reconhecimento do Estado Palestiniano e a solução da coexistência de dois

PUBLICIDADE

O Parlamento Europeu aprovou uma resolução na qual “apoia, por princípio, o reconhecimento do Estado Palestiniano e a solução da coexistência de dois Estados”. Os eurodeputados não chegaram a acordo sobre um texto comum de reconhecimento, mas aprovaram uma documento que apoia a continuação das negociações de paz com vista à separação dos dois territórios. A resolução elaborada por cinco grupos políticos (PPE, S&D, ALDE, CEUE/EVN e Verdes/ALE), foi aprovada em plenário, em Estrasburgo, por 498 votos a favor, 88 contra e 111 abstenções.

Esta aprovação não agradou ao representante israelita. David Walzer, embaixador de Telavive na União Europeia, afirma que “a única forma de atingir este objetivo ambicioso é sentando à mesma mesa israelitas e palestinianos para negociar um acordo de paz. Este assunto não é resolvido em Estrasburgo, em Nova Iorque ou em Genebra”.

O Parlamento Europeu decidiu ainda avançar com a iniciativa «Deputados para a Paz», que visa reunir deputados europeus, israelitas e palestinianos de vários partidos para promover uma agenda para a paz e complementar os esforços diplomáticos da União Europeia.

Gilles Pargneaux, eurodeputado francês do centro esquerda, lembrou que “já disse ao embaixador de Israel que o facto de ter sido aprovada esta resolução vai permitir que haja um interlocutor com a Fatah, com Mahmoud Abbas, que ser reforçado graças à nossa resolução política e à nossa pressão política”.

O Parlamento Europeu lembra ainda que é muito importante consolidar a autoridade do governo de consenso palestiniano e apela a todas as fações palestinianas, incluindo o Hamas, a pôr termo às dissidências internas.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Presidente da Geórgia veta lei que provocou semanas de protestos

Europa atingida por inundações no Norte e ondas de calor no Sul

Centenas de pessoas reuniram-se em Paris para acender velas após ataque a uma sinagoga