EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Boris Johnson estreia-se em Bruxelas a defender "Brexit" e permanência na Europa. Confuso?

Boris Johnson estreia-se em Bruxelas a defender "Brexit" e permanência na Europa. Confuso?
Direitos de autor 
De  Francisco Marques
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

O detentor do penteado mais excêntrico da política britânica voltou a mostrar-se.

PUBLICIDADE

O detentor do penteado mais excêntrico da política britânica voltou a mostrar-se. Desta feita, em Bruxelas. Novo secretário para a política externa do Reino Unido e uma das caras do “Brexit”, o ex-“mayor” de Londres Boris Johnson estreou-se em Conselhos de Ministros da União Europeia, num cargo que o obrigou a abdicar da controversa coluna de opinião que assinava no jornal The Telegraph, pela qual fez campanha pela saída dos britânicos da UE e ela qual recebia cerca de 250 mil libras (300 mil euros) por ano.

Boris Johnson deixa de escrever coluna de opinião e perde fortuna https://t.co/pY1H3aS3cs

— Diário de Notícias (@dntwit) 18 de julho de 2016

O homem que chegou a comparar o projeto europeu ao plano de Adolf Hitler para dominar o continente voltou a defender a saída do bloco sediado em Bruxelas, mas… não das grandes decisões. Confuso? Só ele saberá. “A mensagem que trazemos aos nossos amigos no Conselho é a de que temos de cumprir a vontade do povo e deixar a União Europeia, mas isso em caso algum significa que vamos deixar a Europa. Não vamos de forma alguma abandonar o nosso papel de liderança na cooperação e participação europeias, seja de que tipo for”, afirmou o novo chefe da diplomacia britânica à chegada à reunião em Bruxelas.

FS: “We are not going to be in any way abandoning our leading role in European participation and co-operation” #FAChttps://t.co/KGv19pfo0u

— Foreign Office (FCO) (@foreignoffice) 18 de julho de 2016

Para a secretária de Estado portuguesa dos Assuntos Europeus, Boris Johnson fez “um dos discursos mais europeístas da reunião, no sentido de reconhecer que é fundamental uma cooperação europeia quer na luta contra o terrorismo quer em matéria de defesa”. Margarida Marques revelou ainda que o novo homólogo britânico manifestou “a vontade de o Reino Unido continuar a colaborar com a União Europeia.”

Boris Johnson fez discurso muito europeísta https://t.co/jziiOGA3aJpic.twitter.com/if3D3ub8Lp

— Jornal de Negócios (@JNegocios) 18 de julho de 2016

Quanto a Jean-Marc Ayrault, depois de ter caraterizado Boris Johnson como mentiroso no final da semana passada, após a nomeação do britânico para o executivo de Theresa May, o ministro francês dos Negócios Estrangeiros e do Desenvolvimento Internacional, foi agora mais comedido.

“Falarei sempre com Boris Johnson com a maior das sinceridades e franqueza. Acredito que é assim que devemos avançar. No que concerne à França, o objetivo é evitar que a Europa não caia na incerteza em torno do futuro das relações entre a Grã-Bretanha e a Europa, por isso quanto mais cedo as negociações (do ‘Brexit’) começarem melhor”, afirmou Ayrault, antes do início de uma reunião em que participou também o secretário de Estado norte-americano, John Kerry, e na qual a instabilidade na Turquia e a ameaça terrorista, com o ataque de Nice ainda bem presente, foram os temas dominantes.

Minute de silence au Conseil affaires étrangères à Bruxelles en hommage aux victimes de l'attentat de Nice. pic.twitter.com/JhbDEvbVmq

— Jean-Marc Ayrault (@jeanmarcayrault) 18 de julho de 2016

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Itália: confrontos na Câmara dos Deputados durante votação polémica

Líder da coligação mais votada nas legislativas na Bulgária anuncia que não será primeiro-ministro

NATO: novo plano de ajuda à Ucrânia