Tusk e Juncker dão prioridade à migração e anti-protecionismo no G20

Tusk e Juncker dão prioridade à migração e anti-protecionismo no G20
De  Isabel Marques da Silva
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

O combate ao terrorismo internacional, o livre comércio e a luta contra as alterações climáticas estão no topo da agenda da cimeira do G20, sexta-feira, na cidade alemã de Hamburgo. Os presidentes da

PUBLICIDADE

O combate ao terrorismo internacional, o livre comércio e a luta contra as alterações climáticas estão no topo da agenda da cimeira do G20, sexta-feira, na cidade alemã de Hamburgo.

Os presidentes da Comissão e do Conselho da União Europeia elencaram as prioridades do bloco, tendo Donald Tusk falado do desafio da migração.

“Vou propor a todos os líderes do G20 que aceitem aplicar sanções específicas da ONU contra os contrabandistas de pessoas, nomeadamente, através do congelamento de ativos e da interdição de viajar. Se não o fizermos, será uma triste prova da hipocrisia de alguns membros do G20”, disse o presidente do Conselho Europeu.

#G20#Hamburg | A strong EU is the best way to promote our values and to defend our citizens. Key points: https://t.co/u5gIuvoHp0pic.twitter.com/gRrFTJIhEH

— European Commission (@EU_Commission) July 7, 2017

Depois de Donald Trump ter declarado, na véspera, na Polónia, que os EUA seguem comprometidos com a defesa de todos os Estados-membros da NATO, Donald Tusk fez questão de sublinhar que “há muito que aguardávamos por essas palavras do Presidente Trump”.

“Mas a verdadeira questão é saber se tudo não passou de um incidente ou se é uma nova política”, acrescentou o presidente do Conselho Europeu.

In Hamburg, I call on #G20 leaders to join UN</a> efforts to combat climate change, violent extremism and other unprecedented challenges.</p>— António Guterres (antonioguterres) July 7, 2017

Contudo, o protecionismo comercial norte-americano continua a preocupar os líderes da União Europeia, nomeadamente com as ameaças sobre o setor do aço.

“Fala-se de protecionismo e terão ouvido alguns dizer que estão a ponderar aprovar medidas protecionistas contra as importações de aço, no futuro próximo. Se isso acontecer, a União Europeia vai saber responder de forma adequada”, disse Jean-Claude Juncker, presidente da Comissão Europeia.

A cimeira decorre no segundo maior porto da Europa, rodeada por um forte dispositivo policial.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Macron enfrenta manifestantes na Feira de Agricultura de Paris

Cólera dos agricultores em Espanha e França está para durar

Comissão Europeia desbloqueará 137 mil milhões de euros para Polónia