EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Eurodeputados de regresso ao trabalho

Eurodeputados de regresso ao trabalho
Direitos de autor 
De  Joao Duarte Ferreira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

Fique a conhecer algumas das prioridades dos eurodeputados para os próximos seis meses

PUBLICIDADE

Para os deputados europeus, setembro é sinónimo de regresso ao trabalho. Fomos saber o que esperam conseguir nos próximos seis meses.

Questão 1 - O que é que está na sua lista?

"Pessoas, a polícia, funcionários da emigração, guardas fronteiriços, que todos tenham as informações de que precisam o mais rapidamente possível", Jeroen Lenaers, eurodeputado holandês, PPE

"Quero mais equilíbrio entre o trabalho e a vida", Edouard Martin, eurodeputado francês, Socialistas e Democratas

"Penso que estamos muito preocupados sobre como vamos lidar com os refugiados", Karin Kadenbach, eurodeputada austríaca, Socialistas e Democratas

"A prioridade é garantir que conseguimos o Brexit para o qual trabalhámos e que o governo faça uma negociação como deve ser e não ceda muitos poderes à União Europeia", Steven Woolfe, eurodeputado independente, Reino Unido.

Questão 2: Quem recomendaria como melhor aluno ou aluna?

(risos)

Baronesa Nosheenq Mobarik, eurodeputada britânica, Conservadores Europeus

"Ninguém. Eu quero um novo presidente", Edouard Martin, eurodeputado francês, Socialistas e Democratas

"O meu diretor político, Manfred Weber", Jeroen Lenaers, eurodeputado holandês, PPE

"Ainda sou uma fã de Schulz embora ele agora não se encontre no Parlamento", Karin Kadenbach, eurodeputada austríaca, Socialistas e Democratas

Questão 3: Quem é que colocaria de castigo?

"Florian Phillipot - ele nunca está cá", Edouard Martin, eurodeputado francês, Socialistas e Democratas

"Todo o partido UKIP. Não vamos sentir a falta deles, nãoi fazem nada aqui e são um aborrecimento", Jeroen Lenaers, eurodeputado holandês, PPE

"Gostaria de colocar Verhofstadt de castigo e juntar-me a ele por um par de horas e negociar o futuro para a Grã-Bretanha, a Europa e o resto do mundo. Ia ser engraçado", Steven Woolfe, eurodeputado independente, Reino Unido.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Protesto de intérpretes atrasa sessão do Parlamento Europeu

Brexit: Parlamento Europeu aprova acordo de associação

Reconhecimento do Estado da Palestina é único caminho para a paz, diz primeiro-ministro da Irlanda