EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Ativistas da Greenpeace ficam em prisão até julgamento

Ativistas da Greenpeace ficam em prisão até julgamento
Direitos de autor 
De  Isabel Marques da Silva com Reuters
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

A Greenpeace apela à solidariedade internacional contra a decisão de um tribunal da Eslováquia de manter 12 ambientalistas detidos até que ocorra o julgamento. Os ativistas foram presos, na semana passada, quando protestavam, pacificamente, junto de um empresa de moneração eslovaca.

PUBLICIDADE

A Greenpeace apela à solidariedade internacional contra a decisão de um tribunal da Eslováquia de manter 12 ambientalistas detidos até que ocorra o julgamento.

Os ativistas, de cinco nacionalidades diferentes (Eslováquia, República Checa, Finlândia, Alemanha e Bélgica), foram presos, na semana passada, quando protestaram, pacificamente, junto a uma empresa de mineração de lignite eslovaca.

Os detidos incorrem em penas que podem ir até aos cinco anos de prisão.

“Estamos a enfrentar o maior desafiode sempre para a humanidade e as pessoas exigem ação. Os governos reunidos na COP24 (cimeira da ONU sobre alterações climáticas) devem agora, de uma vez por todas, apoiar as pessoas e agir. Estes 12 ativistas realizaram ações pacíficas para protestar contra o combustível fóssil mais sujo e sua detenção contínua é uma vergonha. Apelamos à Eslováquia para a sua libertação imediata", disse Jennifer Morgan, diretora executiva da Greenpeace International.

Ninguém ficou ferido durante o protesto, mas a empresa de mineração HBP disse que 342 mineiros no subsolo foram colocados em perigo, já que todas as operações foram interrompidas por várias horas.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Protesto da Greenpeace em central de carvão

Região russa do Daguestão decreta três dias de luto após ataques que mataram 20 pessoas

UE contorna Hungria e vai enviar 1,4 mil milhões de euros para Ucrânia