Protesto da Greenpeace em central de carvão

Protesto da Greenpeace em central de carvão
Tamanho do texto Aa Aa

A contestação ecológica no topo da central elétrica a carvão mais poluidora da Europa e uma das maiores do mundo. Os ativistas da Greenpeace escalaram uma chaminé de 180 metros em Belchatow, no centro da Polónia, para protestar contra as políticas de uso de carvão de Varsóvia. Os nove ativistas realizaram a proeza nas vésperas da Cimeira do Clima, a COP24, que começa no domingo.

"Durante muitos anos as alterações climáticas foram números e estatísticas e foi sempre sobre o aquecimento dos oceanos e o derretimento das calotas polar do Ártico. As consequências das alterações climáticas são uma coisa prevista para o futuro mas nós nas Filipinas estamos já a sentir os impactos, estamos já a sofrer as consequências" - explica a ativista da organização ecológica, Joanna Sustento.

De acordo com a Greenpeace, cerca de 80% da eletricidade polaca é produzida nesta central.

A dependência do carvão faz da Polónia um dos países com maior contaminação atmosférica na Europa, especialmente na região da Silésia, no sul, onde se encontra a cidade de Katowice que vai acolher a COP24.