EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Alexei Navalny vence Prémio Sakharov para a Liberdade de Pensamento

Alexei Navalny vence PRémio Sakharov
Alexei Navalny vence PRémio Sakharov Direitos de autor Alexander Zemlianichenko/The Associated Press
Direitos de autor Alexander Zemlianichenko/The Associated Press
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Prémio é atribuído pelo Parlamento Europeu a quem se destaca na defesa dos direitos humanos e da liberdade

PUBLICIDADE

A luta travada em nome da liberdade, da democracia e dos direitos humanos garantiu a Alexei Navalny o Prémio Sakharov para a Liberdade de Pensamento 2021, atribuído pelo Parlamento Europeu.

O ativista anticorrupção russo é uma das vozes mais críticas do regime do presidente Vladimir Putin. Uma postura que o transformou num alvo político.

Detido desde fevereiro, Navalny cumpre, neste momento, uma pena de prisão por alegadas violações da liberdade condicional, que considera falsas.

Durante o anúncio do vencedor do Prémio Sakharov 2021, ecoaram apelos à libertação de Navalny no Parlamento Europeu.

"Em nome do Parlamento Europeu, apelo à libertação imediata e incondicional de Navalny. As autoridades russas devem cessar todas as perseguições, intimidações e ataques contra a oposição, a sociedade civil e os meios de comunicação", sublinhou Heidi Hautala, vice-presidente do Parlamento Europeu.

Navalny fez uma longa campanha a favor de reformas e contra a corrupção na Rússia, contra Putin e o governo.

Em agosto de 2020, durante uma viagem à Sibéria, foi envenenado, passando meses a recuperar em Berlim. Voltou a Moscovo e acabou por ser preso.

A resiliência e determinação do opositor garantiram-lhe a conquista do prémio.

"Se Navalny não vencesse, seria manipulado e provocado por Putin. Seria uma vitória para Putin se fosse nomeado sem vencer", lembrou, em entrevista à Euronews, Assita Kanko, eurodeputada belga do grupo dos Conservadores e Reformistas europeus.

Para o prémio foram igualmente nomeadas onze mulheres afegãs, ativistas de direitos humanos no país sob controlo dos talibãs, e ainda a política da Bolívia Jeanine Áñez, detida desde março e acusada de um golpe de Estado no país.

O prémio, no valor de 50 mil euros, será entregue numa cerimónia que se realiza a 15 de dezembro, em Estrasburgo.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Morreu opositor Alexei Navalny, segundo autoridades prisionais russas

Alexei Navalny outra vez em julgamento na Rússia

Ucrânia precisa de reforçar defesa aérea, alerta ministra dos Negócios Estrangeiros da Alemanha