This content is not available in your region

Justiça europeia coloca em causa sistema de nomeação de juízes polacos

Access to the comments Comentários
De  Euronews
Justiça europeia coloca em causa sistema de nomeação de juízes polacos
Direitos de autor  Geert Vanden Wijngaert/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved.

A batalha política entre Bruxelas e Varsóvia tem um novo capítulo.

O Tribunal de Justiça da União Europeia (TJUE) colocou, esta terça-feira, em causa o sistema de nomeação de juízes no país.

De acordo com o TJUE, o poder do ministro da Justiça polaco para nomear juízes para um tribunal penal superior e para rescindir a nomeação sem declarar razões não só prejudica a independência judicial como também contraria o direito comunitário.

De acordo com Laurent Pech, professor de direito europeu na Universidade de Middlesex, no Reino Unido, não há outra forma de forçar Varsóvia a respeitar os tratados comunitários: "Não pode haver qualquer dúvida sobre o Estado de direito e o direito a um julgamento justo, o direito de um tribunal independente estabelecido por lei. Esta é uma condição básica de adesão à União Europeia (UE). Então, a menos que se concorde que devemos dar espaço a regimes ditatoriais na UE, não pode haver qualquer dúvida. Não podemos fazer acordos entre criminosos e cidadãos cumpridores da lei, apenas para usar uma analogia."

Um grupo de eurodeputados enviou uma carta à presidente da Comissão Europeia. Pedem a Ursula von der Leyen para suspender a atribuição de fundos de recuperação pós-Covid-19 até que Varsóvia respeite o Estado de Direito.

A Comissão Europeia diz que recebeu o documento e que responderá "atempadamente."

O governo nacionalista da Polónia tem estado envolvido numa série de contendas com Bruxelas.

Têm como pano de fundo o Estado de Direito no pais e reformas, que as vozes críticas dizem colocar em causa a independência do poder judicial.

A decisão do TJUE desta terça-feira surge depois de a Polónia ter sido condenada a pagar à Comissão Europeia um milhão de euros por cada dia em que o Conselho Disciplinar do Supremo Tribunal do país continuar a funcionar.

A grande questão que se coloca neste momento é saber até quando é que o primeiro-ministro, Mateusz Morawiecki, aguentará o braço-de-ferro persistente com Bruxelas.