Líderes europeus anunciam novo pacote de sanções contra a Rússia

Líderes europeus anunciam novo pacote de sanções contra a Rússia
Direitos de autor Alessandra Tarantino/Copyright 2022 The Associated Press. All rights reserved
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

União Europeia pode adotar medidas adicionais se as novas sanções não bastarem para deter a ofensiva do presidente russo Vladimir Putin contra a Ucrânia

PUBLICIDADE

A União Europeia (UE) anunciou um novo pacote de sanções contra a Rússia. É considerado o mais duro conjunto de medidas de sempre adotado em Bruxelas.

Reunidos num Conselho Europeu extraordinário, os chefes de Estado e de Governo da UE mostraram-se unidos contra o presidente russo, Vladimir Putin, que consideram imprudente e brutal.

"Vladimir Putin decidiu agora fazer uma guerra contra aUcrânia, mas não vai ganhar esta guerra, porque os cidadãos da Europa querem a paz, o Estado de direito e a democracia. E os cidadãos da Ucrânia demonstraram isso muito claramente", sublinhou o chanceler alemão Olaf Scholz, presente no encontro de Bruxelas.

Vários líderes europeus dizem que a Rússia e a economia do país precisam de sentir a pressão esmagadora das sanções, tornando-sedifícil - senão impossível - a realização de transações económicas e financeiras.

"Falar é fácil. Basta de conversa. Há bastante ingenuidade entre nós e trivialidade. Temos de agir e de reagir de forma muito decidida. Há civis a morrer. A cada minuto, a cada hora", lembrou o primeiro-ministro polaco, Mateusz Morawiecki.

O homólogo belga, Alexander De Croo, acrescentou: "não precisamos de sanções que ladram. Precisamos de sanções que mordem. E se as sanções mordem, precisam morder completamente. Isso significa que precisamos de sanções que tenham um grande impacto no lado russo."

As sanções destinam-se, entre outras coisas, a enfraquecer a posição tecnológica da Rússia, crítica para várias indústrias e consumidores do país, bem como para estancar a capacidade financeira para financiar a guerra e as aspirações do Kremlin.

Na cimeira também ficou claro que a Europa tem mais cartas para jogar caso estas sanções não sejam efetivas para conter.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Von der Leyen não quer trabalhar com "amigos de Putin" no Parlamento Europeu

Famílias pedem ajuda da UE para libertar reféns face iminente operação em Rafah

UE chegou a acordo sobre 13.º pacote de sanções contra a Rússia