União Europeia tira lei da gaveta para proteger refugiados ucranianos

União Europeia tira lei da gaveta para proteger refugiados ucranianos
Direitos de autor Marc Sanye/Copyright 2022 The Associated Press. All rights reserved
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A Diretiva de Proteção Temporária foi ativada e significa que não haverá restrições para os ucranianos trabalharem, por exemplo, na União Europeia, ou para as crianças acederem à educação

PUBLICIDADE

Milhões de ucranianos que fugiram da invasão russa no país chegaram à Europa, criando desafios para os países que os acolhem e para a União Europeia, por arrasto.

Este já foi descrito como o maior êxodo humano desde o final da Segunda Guerra Mundial.

Para gerir as chegadas, os Estados-membros decidiram ativar a Diretiva de Proteção Temporária, uma lei europeia de 2001 que nunca tinha sido usada até agora.

O mecanismo excepcional permitirá aos ucranianos permanecer no bloco comunitário durante um período de até três anos e garante o acesso rápido e fácil a autorizações de residência, à educação, emprego, saúde e assistência social.

Todas as etapas burocráticas estão a ser simplificadas para agilizar o processo, que funciona fora do sistema de asilo normalmente sobrecarregado.

"Todos podem ter a proteção diretamente, podem trabalhar, podem alojar-se, as crianças podem ir à escola. Não haverá tempo de espera aqui", disse Ylva Johansson, comissária europeia com a pasta dos Assuntos Internos, que considerou a ativação da diretiva uma decisão "histórica".

Bruxelas prevê que a guerra provoque mais de sete milhões de ucranianos deslocados.

Veja as explicações no vídeo.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

UE quer alargar as sanções contra o Irão na sequência do ataque a Israel

Prémio LUX do Público entregue ao filme "A sala dos professores"

Polícia de Bruxelas tenta evitar conferência populista de direita onde estava Orbán