This content is not available in your region

Centros Sociais e de Saúde Integrados: uma abordagem da saúde a 360º

De  Claudio Rosmino  & euronews
euronews_icons_loading
Centros Sociais e de Saúde Integrados: uma abordagem da saúde a 360º
Direitos de autor  euronews

Na região de Bruxelas, a criação de Centros Sociais e de Saúde Integrados visa ajudar as pessoas mais vulneráveis que têm dificuldade em aceder a cuidados de saúde e apoio social.

Na região de Bruxelas, cerca 30% da população não têm médico de família, segundo as estimativas da Organização Não Governamental (ONG) Médecin du Monde

Para dar reposta ao problema, a ONG belga criou o conceito de Centro Social e de Saúde Integrado. A estrutura visa ajudar as pessoas mais vulneráveis que muitas vezes enfrentam, ao mesmo tempo, problemas de saúde e dificuldades a nível social e económico.

Um serviço com diferentes "pontos de entrada"

“Propomos um serviço de cuidados de saúde abrangente com diferentes pontos de entrada. Concentramo-nos na prestação de cuidados médicos, serviços sociais, gestão de dívidas, cuidados psicológicos. Este tipo de questões sociais surge regularmente durante a consulta médica", disse à euronews Thomas Vaessen, médico do Centro Social e de Saúde Ribaucare, em Molenbeek, na região de Bruxelas.

"Um encontro humano"

"É uma experiência que vai para além do simples facto de vir aqui, porque se tem uma dor ou um problema. Neste síto, há um encontro humano", contou Pietro, um utente de origem italiana que vive na Bélgica há quase seis anos e que dá cursos de teatro no Centro Ribaucare, de Molenbeek, na região de Bruxelas. Uma abordagem centrada no paciente que passa por reunir no mesmo sítio serviços que se encontram tradicionalmente fragmentados.

Um conceito de bem-estar global

"O conceito em que estamos a trabalhar é um conceito de bem-estar global. Trabalhamos em torno da pessoa uma abordagem a 360º. Os serviços mais importantes que fornecemos são: serviços de saúde, incluindo saúde mental, serviços sociais que lidam com as questões da habitação, de compreensão da legislação belga, de acesso a apoios sociais, emprego e recursos", afirmou Pierre Verbeeren, diretor de Ação Social e membro da ONG Médecins du monde.

O apoio da Política de Coesão Europeia

A iniciativa integra a criação de dois Centros Integrados de Saúde e Sociais. O segundo centro, em Anderlecht, uma das zonas mais carenciadas da região de Bruxelas, deverá abrir portas em meados de 2023.

"O nosso objectivo é poder trabalhar de forma muito acessível. Será um centro multilingue com uma vasta gama de atividades e serviços. Segundo a nossa estimativa, seremos capazes de receber entre 5 a 6 mil pessoas por ano", afirmou Katrien Van Remortel, coordenadora do projeto do Centro Integrado de Saúde e Social de Anderlecht.

O custo total da iniciativa é de 7,44 milhões de euros. Cerca de 3 milhões e 72 mil euros provêm da Política de Coesão da União Europeia.