EventsEventos
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

UE: mais 500 milhões de euros de ajuda para exército da Ucrânia

Chefe da diplomacia europeia, Josep Borrell, Bruxelas, 18 de julho de 2022
Chefe da diplomacia europeia, Josep Borrell, Bruxelas, 18 de julho de 2022 Direitos de autor Virginia Mayo/Copyright 2022 The Associated Press. All rights reserved
Direitos de autor Virginia Mayo/Copyright 2022 The Associated Press. All rights reserved
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Ministros dos Negócios Estrangeiros do bloco decidiram reforçar apoio. Também aprovaram interdição a importações de ouro russo, incluindo jóias

PUBLICIDADE

Mais dinheiro, para reprimir a agressão da Rússia. A União Europeia (UE) vai enviar mais 500 milhões de euros em ajuda militar para o exército da Ucrânia, ao abrigo do Mecanismo Europeu de Apoio à Paz.

Desde que se iniciou a ofensiva, a 24 de fevereiro, o bloco já enviou para Kiev cerca de 2,5 mil milhões de euros.

Reunidos em Bruxelas, esta segunda-feira, os ministros dos Negócios Estrangeiros da UE também aprovaram uma proibição às importações de ouro russo, incluindo jóias. Um reforço às sanções já adotadas.

Fontes diplomáticas disseram à Euronews que alguns Estados-membros começaram a acusar fadiga das sanções, o que para o chefe da diplomacia europeia, Josep Borrell, está fora de questão neste momento.

"Estou certo de que Vladimir Putin está a contar com a fadiga democrática. Tenho certeza. As sociedades europeias não podem permitir a fadiga. As sociedades europeias e os governos dos Estados-membros da União Europeia têm de continuar a apoiar as decisões que tomaram. Tomaram as decisões sobre as medidas restritivas contra a economia russa e têm de cumpri-las", sublinhou Borrell.

Pressionados pela crise energética, alguns governos mostram relutância em enviar mais fundos para ajudar a Ucrânia.

O embaixador da UE, Matti Maasikas, para a Ucrânia disse à Euronews que o dinheiro é preciso, mais do que nunca, porque a guerra está a arrasar a economia do país: "a Ucrânia fala num défice orçamental mensal de cinco mil milhões de euros. A flexibilização da assistência financeira internacional proveniente de diferentes fontes ainda não é suficiente para preencher essa lacuna. Só posso expressar a minha esperança de que as discussões entre os Estados-membros do bloco sobre a assistência macrofinanceira de nove mil milhões de euros prossiga mais rapidamente."

Em maio, a União Europeia aprovou um pacote de nove mil milhões de euros de ajuda à Ucrânia.

Mil milhões devem ser desembolsados este mês, mas ainda falta acordo para desembolsar o resto.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

126 milhões de euros em apoio militar para a Ucrânia ainda este ano, promete Portugal

Antigo chefe dos serviços secretos holandeses deverá ser o novo primeiro-ministro dos Países Baixos

Porque é que os jovens alemães são tão facilmente seduzidos pelas ideias da AfD?