This content is not available in your region

Como Antuérpia se tornou a porta de entrada da cocaína na Europa

Access to the comments Comentários
De  Euronews
Cães farejadores ajudam a polícia na missão
Cães farejadores ajudam a polícia na missão   -   Direitos de autor  AP Photo/Virginia Mayo

As apreensões de drogas ilegais no porto de Antuérpia continuam a aumentar com quase 36 toneladas de drogas descobertas no primeiro semestre do ano, anunciaram as autoridades belgas.

Cerca de 41 toneladas foram recuperadas pelas autoridades em 2017, com o número a aumentar de ano para ano até atingir 65,5 toneladas em 2020.

2021 foi um ano excecional, com mais de 89 toneladas de drogas apreendidas, após os investigadores terem decifrado o serviço de mensagens encriptadas Sky ECC e intercetado mil milhões de mensagens durante uma investigação de dois anos.

O General da alfândega belga Kristian Vanderwaeren disse aos jornalistas que, mesmo que as apreensões ligadas à operação Sky ECC fossem retiradas dos dados de 2022, é evidente um aumento das tentativas de importação de cocaína.

Vanderwaeren disse que o envio de drogas para a Europa é mais rentável para os cartéis colombianos e outros, pois "não têm de trabalhar com os cartéis mexicanos que se encontram no meio e retiram a maior parte dos lucros da droga exportada para os Estados Unidos" e porque o preço a retalho da cocaína é mais elevado na Europa.

Num importante relatório do ano passado, a Europol, a Agência da União Europeia para a Cooperação de Polícias, descreveu a Bélgica e os Países Baixos vizinhos como "o epicentro" do mercado da cocaína do Velho Continente.

Durante uma demonstração em Antuérpia, os funcionários da alfândega também exibiram um novo veículo móvel de ‘scanning’ utilizado durante os controlos, que permite que sejam efectuados ‘scans’ perto dos navios porta-contentores, à medida que a carga é descarregada.

Veja a nossa reportagem no vídeo acima.