Comunidade Política Europeia: como fomentar o diálogo político?

Access to the comments Comentários
De  Euronews
Líderes de vários países europeus reuniram-se esta quinta-feira em Praga
Líderes de vários países europeus reuniram-se esta quinta-feira em Praga   -   Direitos de autor  AP Photo

Com muita pompa, a Europa lançou uma nova plataforma para fomentar o diálogo político no velho continente.

A ideia original de se avançar com uma Comunidade Política Europeia foi apresentada, em maio, pelo presidente francês, Emmanuel Macron, com o objetivo de desenvolver novos projetos para responder a desafios comuns.

"Esta nova organização europeia permitirá às nações europeias, democráticas, alinhadas com os nossos valores, encontrar um novo espaço de cooperação política, de segurança", disse, na altura, Macron.

Para França, por exemplo, é uma oportunidade para restabelecer pontes e ligar o Reino Unido ao resto do continente.

Para outros países representa uma antecâmara da adesão à União Europeia.

Cada qual tem motivos diferentes para participar deste fórum, mas, para já, importa encontrar um modo de funcionamento.

"Esta será uma organização intergovernamental. Os países participantes são os principais agentes. Não será institucional nem excessivamente institucionalizada. O papel da Comissão e do Conselho Europeu é bastante pequeno e minimizado", explicou, em entrevista à Euronews, Mujtaba Rahman, diretor do Eurasia Group.

Apesar de muitos desafios continuarem sem resposta clara, a Comunidade Política Europeia oferece oportunidades imediatas.

"O mais importante, a curtíssimo prazo, é o que vai resultar dos encontros bilaterais que acontecem à margem da reunião. Há duas a três horas livres para 44 chefes de Estado e de Governo interagirem uns com os outros", acrescentou Mujtaba Rahman.

O tempo ditará os contornos, método e resultados desta nova organização.

A presença de 44 chefes de Estado e de Governo em Praga, na República Checa, para o lançamento da plataforma mostra o interesse do conjunto do continente europeu.