Cimeira da UE: Comissão e ministros da Energia vão aperfeiçoar acordo

Access to the comments Comentários
De  Gregoire Lory  & Isabel Marques da Silva
Presidentes da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, e do Conselho Europeu, Charles Michel
Presidentes da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, e do Conselho Europeu, Charles Michel   -   Direitos de autor  European Union, 2022.

A Comissão Europeia ainda terá de dar retoques técnicos, a serem aprovados peloz ministros da Energia, mas os líderes da União Europeia (UE) acreditam que o roteiro debatido na Cimeira de Bruxelas, quinta e sexta-feira, vai ser bem sucedido .

"É um acordo extremamente importante, que terá um efeito imediato, porque assistimos já a uma queda significativa dos preços do gás,  nas últimas horas. Isso mostra que quando os europeus agem unidos, têm  impato. Continaremos mobilizados", disse Charles Michel, presidente do Conselho Europeu.

A forma de definir tetos para os preços do gás vai ser trabalhada pela Comissão Europeia, através de um novo índice de preços para o g´ss natural liquefeito, de um mecanismo de travão para a especulação e da adaptação do chamado mecanismo ibérico.

Desde maio, Portugal e Espanha estão autorizados a não indexar o preço da eletricidade ao preço do gás, porque usam muita energia de fonte erenovável.

Mas a Alemanha continua a exigir salvaguardas que não criem disrupção nos mercados, explicou o chanceler Olaf Scholz: "Não acreditamos que, num mercado global, se deva dizer, unilateralmente, qual deve ser o preço máximo. A única coisa que podemos fazer é combater a especulação no mercado por causa de informações erradas sobre a formação do preços reais. Portanto, há que lidar com esses picos de preços excessivos dos preços".

Os 27 líderes também concordam em criar uma plataforma conjunta de aquisição de gás, numa base voluntária, evitando s excessiva concorrência entre os Estados-membros. O peso comercial do bloco permitirá negociar melhores preços com fornecedores "fiáveis", tais como a Noruega, entre outros.

Agilizar o licenciamento para energia renováveis e melhorar as interconexões entre os países são outras apostas.

No dossiê sobre relações internacionais, foi discutido o apoio à Ucrânia e a orientação para diminuir cada vez mais a dependência comercial e tecnológica face à China.