EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

UE chega a acordo sobre teto para o preço do gás

Ministros da Energia da UE chegaram a acordo para limitar o preço do gás
Ministros da Energia da UE chegaram a acordo para limitar o preço do gás Direitos de autor Olivier Matthys/AP
Direitos de autor Olivier Matthys/AP
De  euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Depois de meses de difíceis negociações, os ministros da Energia da União Europeia chegaram a acordo sobre um teto para o preço do gás. O mecanismo de correção dos preços será acionado quando se ultrapassarem os 180 euros por megawatt-hora mediante certas condições.

PUBLICIDADE

Depois de meses de difíceis negociações, os ministros da Energia da União Europeia chegaram a acordo sobre um teto para o preço do gás. O mecanismo de correção dos preços será acionado quando se ultrapassarem os 180 euros por megawatt-hora mediante certas condições.

O ministro da Indústria da República Checa, Josef Síkela, disse que foi acordado "um mecanismo temporário, eficaz e realista que protegerá os cidadãos e as empresas dos preços excessivos do gás" que se verificaram no verão.

Atualmente, o índice está nos 115 euros por megawatt-hora, mas em agosto atingiu picos de 350 por megawatt-hora.

O mecanismo só será ativado mediante duas condições: sempre que a cotação no índice TTF ficar acima dos 180 euros por megawatt hora durante mais de três dias úteis consecutivos e se a diferença entre o teto e o preço médio do gás natural liquefeito global for superior a 35 euros

Apesar de todos os esforços, o acordo não foi apoiado por todos os Estados-membros. A Hungria votou contra. Os Países Baixos e a Austria abstiveram -se. a Alemanha acabou por votar a favor.

O vice-chanceler alemão Robert Habeck mostrou-se "um pouco cético de que o mecanismo de correção do mercado seja o caminho certo", mas realçou que "há muitas salvaguardas e mecanismos para monitorar e optar por sair se algum tipo de dano ameaçar o abastecimento da Europa”.

O mecanismo vai entrar em vigor no próximo dia 15 de fevereiro e será desativado automaticamente caso esteja em risco o abastecimento ou aumente o consumo de gás.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Erdoğan rejeita plano da ONU para um Chipre federado

Josep Borrell prepara saída de cena com visitas aos países bálticos

Ex-deputada ucraniana morta a tiro em Lviv