Rotulagem nutricional é uma política controversa na UE

A rotulagem com base em cores e letras serve para ajudar o consumidor a fazer escolhas mais esclarecidas
A rotulagem com base em cores e letras serve para ajudar o consumidor a fazer escolhas mais esclarecidas Direitos de autor AP Photo
De  Vincenzo GenoveseIsabel Marques da Silva
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O sistema Nutriscore não tem em conta a quantidade de um alimento que é processado ou quantos aditivos contém, mas apenas o seu equilíbrio nutricional.

PUBLICIDADE

Uma das próximas batalhas políticas entre os governos da União Europeia (UE) será travada no supermercado. Nos próximos meses, a Comissão Europeia irá escolher uma nova rotulagem sobre informação nutricional dos alimentos que deverá ser uniforme em toda a UE. 

A avaliação está ainda em curso, sendo uma das opções denominada Nutriscore, um rótulo que se baseia em cores e letras, semelhante ao usado para o nível de eficiência energética de eletrodomésticos. Já é utilizado em sete Estados-membros, incluindo a Bélgica, onde tem tido relativo sucesso.

O NutriScore é uma escala de cinco cores (e letras de A a E), que indica a qualidade nutricional de um produto, considerando uma quantidade fixa do alimento, por exemplo 100 gramas ou 100mililitros. 

Alimentos com maior teor de proteínas e fibras, bem como as frutas e vegetais, têm uma melhor classificação, sendo usadas a cor verde em dois tons e amarelo. Já a presença  de grandes teores de açúcar, gordura e sal no alimento  levam a classificações com as cores laranja e vermelho.

Euronews
Escala de cores e letras sobre os componentes nutricionais é a base do NutriscoreEuronews

Críticas italianas

O governo italiano e a Associação Italiana de Agricultores criticam o NutriScore, considerando  fornece uma indicação "enganosa", que penaliza propdutos típicos do país de grande expeortação tais como carnes fumadas e queijos.

"Infelizmente, há muitos exemplos que mostram como o Nutriscore pode induzir o consumidor em erro porque se refere à qualidade de um produto sem ter em conta a quantidade. Continuo convencido de que, em termos de nutrição, a quantidade conta muito. Há uma grande diferença entre comer 50 gramas ou 500 gramas de queijo", disse Herbert Dorfmann, eurodeputado italiano do centro-direita, em declarações à euronews.

Além disso, este sistema de rotulagem não tem em conta o grau de processamento alimentar ao nível dos aditivos presentes, atestando apenas o equilíbrio nutricional. É por isso que alguns alimentos considerados saudáveis mas alto teor de gordura, tal como o azeite, têm frequentemente classificações de mais prejudicias do que alguns alimentos processados com muitos conservantes.

Compara alimentos

Para os defensores do Nutriscore, o sistema tem mais prós do que contras, em particular para comparar   alimentos da mesma categoria.

"Para ser eficiente, um rótulo nutricional na frente da embalagem tem de preencher alguns critérios: tem de ser codificado por cores e ser baseado em provas científicas independentes. Parece que o NutriScore cumpre esses requisitos. É por isso que neste momento, o Nutriscore é o melhor candidato para ser o sistema de rotulagem nutricional em toda a Europa", afirmou Pauline Constant, diretora de comunicação da da Organização Europeia de Consumidores.

Esta associação referiu que mais de 100 estudos científicos independentes defendem a utilidade deste sistema e espera que a Comissão o proponha, em breve, aos Estados-membros. Se for este o caso, o importante é compreender que o semáforo de cores se refere ao equiíbrio de nutrientes e não aos benefícios para a saúde do consumo desse alimento.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Cadeias de comida rápida resistem a acabar com embalagens de uso único

Europa dividida sobre rotulagem "verde" do nuclear e gás por Bruxelas

Von der Leyan renova apelo à aquisão conjunta de armas na UE