EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

É preciso responder à "policrise", disse a presidente do Parlamento Europeu

Roberta Metsola com o chanceler alemão, nas comemorações do Dia da Europa, no Parlamento Europeu
Roberta Metsola com o chanceler alemão, nas comemorações do Dia da Europa, no Parlamento Europeu Direitos de autor Jean-Francois Badias/Copyright 2023 The AP. All rights reserved
Direitos de autor Jean-Francois Badias/Copyright 2023 The AP. All rights reserved
De  Isabel Marques da Silva
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Os impactos da guerra na Ucrânia, a nível da inflação e problemas sócio-económicos, formaram uma complexa teia que exige respostas da União Europeia, disse a presidente do Parlamento Europeu, Roberta Metsola, em entrevista à euronews.

PUBLICIDADE

A Ucrânia foi um tema central para vários líderes na celebração do Dia da Europa, a 9 de maio. A presidente do Parlamento Europeu, Roberta Metsola, acredita na integração desse país na União Europeia (UE), disse em entrevista à euronews, em Estrasburgo (França).

"Quando tivermos essa vontade política, a UE terá de corresponder às expetativas, com as tarefas adequadas. Isso significa fazer as perguntas que têm de ser feitas, garantir que a ajuda é dada e, passo a passo, atingir esse objetivo", referiu.

Questionada sobre se a UE está a entrar numa economia de guerra, Metsola disse que a situação criou um novo panorama muito difícil para os europeus.

A forma como vamos gerir o impacto social e económico daquilo que eu diria ser uma policrise será o teste a que temos de nos submeter.
Roberta Metsola
Presidente do Parlamento Europeu

"Estamos perante uma situação em que a inflação é extremamente elevada, em que as taxas de juro foram sendo aumentadas, em que os rendimentoss foram reduzidos, com impacto na habitação, nas pensões, nos ativos. As empresas, as famílias olham para nós e dizem: não tenho dinheiro para pagar as minhas contas no final do mês. É a isto que temos de responder. E é por isso que a forma como vamos gerir o impacto social e económico daquilo que eu diria ser uma policrise será o teste a que temos de nos submeter", explicou Metsola.

Faltando cerca de um ano para as próximas eleições europeias, a euronews perguntou até que ponto o escândalo de corrupção no Parlamento Europeu, que envolve vários eurodeputados, afeta a credibilidade da UE.

Farei tudo o que estiver ao meu alcance até ao final do mandato para garantir que todas as medidas e resultados que tomámos são uma resposta às dificuldades que enfrentámos nos últimos meses.
Roberta Metsola
Presidente do Parlamento Europeu

"Neste momento, estamos a passar por uma série de reformas muito difíceis, porque a mudança nunca é fácil. Algumas de carácter imediato, outras levarão um pouco mais de tempo a serem implementadas, antes do início do próximo mandato. Por outras palavras, no próximo ano, após o fim da presente legislatura. Farei tudo o que estiver ao meu alcance até ao final do mandato para garantir que todas as medidas e resultados que tomámos são uma resposta às dificuldades que enfrentámos nos últimos meses", garantiu.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Scholz: "Europa não pode sentir-se intimidada pela Rússia"

Ursula von der Leyen celebra Dia da Europa em Kiev com Zelenskyy

Josep Borrell: "Se não apoiarmos a Ucrânia, a Ucrânia vai cair. Numa questão de dias"