EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Ilha da Madeira otimiza gestão da água apostando nas energias renováveis

Em parceria com The European Commission
Ilha da Madeira otimiza gestão da água apostando nas energias renováveis
Direitos de autor euronews
Direitos de autor euronews
De  Aurora Velez
Partilhe esta notícia
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A região autónoma de Portugal otimizou o funcionamento da sua central hidroelétrica com recurso a energias renováveis, no âmbito de um projeto europeu exemplar.

Ilha da Madeira é um arquipélago vulcânico a 660 km ao largo da costa de África. Com uma geografia acidentada e no contexto de alterações climáticas globais, o abastecimento de água e eletricidade torna-se um desafio. A Central Hidrelétrica dos Socorridos foi construída para otimizar a produção de água para a população local e irrigação. Através e um projeto europeu, a central foi ampliada e transformada.

António Manuel Pontes Leça, diretor de Produção de Energia na Empresa de Eletricidade da Madeira, explica a mais-valia da otimização da central.

"A ideia era justamente captar água na costa norte e trazê-la para a costa sul, que é onde estão as populações. Com a estação de bombagem, passámos a ter mais recurso hídrico porque acumulamos em cima na cota superior e acumulamos em baixo na cota inferior, para depois poder fazer a bombagem e tentar perder o mínimo de água possível".

Uma ilha recortada por "levadas"

As populações mais antigas já compreendiam a necessidade de transportar água do norte montanhoso para o sul, mais seco, através das "levadas". Alguns destes canais de água foram construídos no século XV. A ilha da Madeira tem cerca de 2 mil quilómetros de levadas. Com este projeto na Central Hidroelétrica dos Socorridos, a capacidade de armazenamento de água foi aumentada. Beatriz Rodrigues Jardim, diretora da Qualidade, Ambiente e Segurança da Empresa de Eletricidade da Madeira, fala de um "desafio de construção". 

_"Nós escavámos um túnel de 5,4 quilómetros para trazer todas estas águas e poder armazená-las a montante da nossa central hidroelétrica, que já existia antes deste projeto. Também tivemos que fazê-lo _pela montanha dentro em galerias, um desafio de construção muito grande".

Produção de energia

Graças a este projeto, a utilização de energias renováveis na ilha é agora de 33%. A energia eólica é utilizada para enviar a água armazenada na central elétrica para um reservatório na colina, se necessário . Nuno Jorge Pereira, diretor de Produção de Água, na Águas e Resíduos da Madeira, explica que a água também é utilizada na produção de energia. 

"Há aqui um volume de água que é transferido durante a noite para as cotas superiores e depois é turbinado durante o dia. Digamos que é um volume estratégico que serve para fazer esta reversibilidade da produção de energia".

Projeto premiado

O sul da ilha é a zona mais seca e, por isso, a mais crítica. Desde que a central dos Socorridos foi otimizada, Francisco Faria, produtor de bananas, está mais relaxado com o trabalho, mesmo quando há uma seca. O agricultor cultiva 18 toneladas de banana. Diz-nos que "antes era um trabalho árduo, e que agora as coisas melhoraram muito porque a água vem dentro dos tuneis e chega mais rápido e melhor". 

O custo total deste projeto ultrapassa os 34 milhões de euros. Deste total, cerca de 17 milhões foram cofinanciados pela política de coesão da União Europeia (UE).

A otimização da Central Hidroelétrica dos Socorridos é considerada um dos melhores projetos cofinanciados pela Europa nos últimos 15 anos . Foi distinguida com os prémios Regiostars, que identificam boas práticas em desenvolvimento regional e destacam projetos inovadores financiados pela UE.

Partilhe esta notícia

Notícias relacionadas

Geotermia e aquecimento urbano: um modelo para as cidades europeias?

Hospital para animais marinhos em Aveiro acolhe aves, golfinhos e tartarugas