EventsEventos
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Milhares protestam na Geórgia contra "lei russa". Borrell condena violência contra manifestantes

Há semanas que os georgianos protestam contra o projeto de lei do partido de Governo
Há semanas que os georgianos protestam contra o projeto de lei do partido de Governo Direitos de autor Zurab Tsertsvadze/Copyright 2024 The AP. All rights reserved
Direitos de autor Zurab Tsertsvadze/Copyright 2024 The AP. All rights reserved
De  Euronews com AP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied
Artigo publicado originalmente em inglês

Os críticos da chamada "lei russa" dizem que o projeto de lei mina a democracia e pode inviabilizar as hipóteses do país aderir à União Europeia. Josep Borrell condenou recurso à violência para dispersar protestos.

PUBLICIDADE

Milhares de pessoas voltaram a sair às ruas da capital da Geórgia, Tbilisi, enquanto o Parlamento do país debatia pela segunda vez a polémica lei da "transparência da influência estrangeira".

O projeto de lei exige que os meios de comunicação se registem como organizações sob influência estrangeira se receberem mais de 20% de financiamento estrangeiro.

Os críticos dizem que o projeto de lei, que apelidaram de "lei russa", mina a democracia e pode inviabilizar as hipóteses do país aderir à União Europeia. 

Nas redes sociais, o chefe da diplomacia da União Europeia condenou a violência das autoridades que procuraram dispersar a manifestação. 

"Condeno veementemente a violência contra manifestantes na Geórgia que estavam a protestar pacificamente contra a lei sobre a influência estrangeira. A Geórgia é um país candidato à UE, pelo que apelo às suas autoridades para que garantam o direito de reunião pacífica, sendo inaceitável o uso da força para o reprimir", escreveu Josep Borrell numa publicação partilhada no X.

"Não queremos o regime soviético que os nossos pais sentiram na pele. Acho que todos deveriam estar nas ruas e dizer não à lei russa e sim à Europa", diz uma manifestante georgiana.

Os defensores do projeto de lei, proposto pelo partido de governo Sonho Georgiano, argumentam que garantir a transparência é crucial na luta para manter a soberania nacional.

Há semanas que têm sido convocados protestos contra a legislação na Geórgia, tal como em 2023, quando um projeto de lei quase idêntico teve de voltar à gaveta devido à contestação pública. 

Embora a presidente georgiana Salomé Zourabichvili tenha dito que vetaria a lei se a mesma fosse aprovada pelo Parlamento, o partido no poder pode ultrapassar o veto se conseguir recolher 76 votos numa segunda votação.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Milhares manifestam-se na Geórgia em apoio a polémica lei de transparência de influência estrangeira

Milhares voltam a manifestar-se na Geórgia contra a lei dos "agentes estrangeiros"

Lei da "influência estrangeira" afasta Geórgia da UE, alerta Charles Michel