This content is not available in your region

Mulheres empresárias enfrentam obstáculos para obter financiamento

euronews_icons_loading
Mulheres empresárias enfrentam obstáculos para obter financiamento
Direitos de autor  euronews
Tamanho do texto Aa Aa

As mulheres enfrentam desafios importantes para lançar um negócio, especialmente ao nível do capital de risco, apesar de criarem cerca de um terço das empresas na Europa.

A euronews falou com Anne Ravanona, fundadora e presidente da Global Invest Her, uma plataforma que visa acelerar o financiamento dos projetos das mulheres empresárias.

euronews: "Criar e desenvolver um negócio pode ser difícil para qualquer pessoa. Há uma diferença entre homens e mulheres quando se trata de lançar empresas?

Anne Ravanona: “Ainda há um grande fosso ao nível do empreendedorismo e da possibilidade para as mulheres de lançarem empresas devido a vários fatores. Há diferentes barreiras, internas e externas. Por isso, sim, infelizmente, há diferenças quando se trata de lançar e construir uma empresa, se a pessoa for uma mulher empreendedora".

euronews: "E quais são os principais desafios para as mulheres em comparação com os homens?”

Anne Ravanona: “O desafio número um é o acesso ao financiamento, depois, o acesso a redes de apoio e a mentores. Há três desafios: financiamento, redes e mentores. ”

euronews
Anne Ravanona, presidente da Global Invest Hereuronews

euronews: "A Comissão Europeia criou a iniciativa WEgate para apoiar o empreendedorismo das mulheres. Como é que essa rede ajuda as empresárias a terem sucesso?”

Anne Ravanona: "A WEgate é uma plataforma criada pela Comissão Europeia em parceria com outras organizações no terreno ao serviço de mulheres empresárias que desejam conhecer todos os recursos disponíveis nos países onde vivem e a nível internacional para poder lançar um negócio, financiar um negócio e estabelecer contactos com outras mulheres empresárias. É como uma viagem ao espaço. A rede integra numerosas organizações que prestam serviços e apoiam as fundadoras. E na Europa, nós temos de reunir todos os recursos porque há muitos recursos. É necessário um balcão único para saber onde obter o que precisa. A WEgate é uma ótima ferramenta para isso.”

euronews: "Os estudos indicam que as criadoras de empresas têm mais dificuldade em aceder a fundos de risco. Como mudar essa realidade?"

Anne Ravanona: “É uma pergunta que vale três milhões de dólares, ou que vale um vírgula sete bilhões de dólares. Sabia que o chamado fosso de financiamento ao nível do género, ou seja, a diferença entre a quantidade de dinheiro arrecadada pelos homens que lançam empresas em relação às mulheres é de um vírgula sete bilhões de dólares? Hoje, as mulheres empresárias recebem apenas 2% do capital de risco total. O que está a acontecer é que as mulheres empresárias estão a construir o seu negócio e para isso precisam de dinheiro. Eu observo que as mulheres tomam 500 cafés com as pessoas erradas e os homens tomam cinco cafés com as pessoas certas e obtêm o financiamento. Penso que há uma necessidade perceber melhor quais são os problemas que as mulheres empresárias estão a tentar resolver, para financiar melhor esses projetos, apoiá-los e tornar o seu sucesso visível.”