EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

TikTok "promoveu a misoginia e os estereótipos negativos" no período que antecedeu as eleições europeias

O logótipo do TikTok é apresentado no ecrã de um smartphone em Tóquio, em 28 de setembro de 2020.
O logótipo do TikTok é apresentado no ecrã de um smartphone em Tóquio, em 28 de setembro de 2020. Direitos de autor Kiichiro Sato/AP Photo
Direitos de autor Kiichiro Sato/AP Photo
De  James Thomas
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied
Artigo publicado originalmente em inglês

Um novo estudo revelou que as sugestões de pesquisa do TikTok continham linguagem tóxica para as mulheres e para as minorias na Finlândia.

PUBLICIDADE

A falta de moderação do TikTok levou ao aparecimento de linguagem objetificada e sexista nas sugestões de pesquisa para mulheres políticas e impulsionou quase exclusivamente informações negativas sobre determinados políticos, tanto homens como mulheres.

Estas são as conclusões da empresa finlandesa de metodologias CheckFirst e do serviço de verificação de factos Faktabaari, no âmbito do seu projeto CrossOver.

Por exemplo, as sugestões para a antiga primeira-ministra Sanna Marin incluíam "vídeo de masturbação de Sanna Marin".

Sugestões de pesquisas sobre Sanna Marin
Sugestões de pesquisas sobre Sanna MarinCheckFirst/Faktabaari

As sugestões para Eva Biaudet, deputada do Partido Popular Sueco da Finlândia, de centro-direita, incluíam "Eva e Kristian fazem sexo na sauna".

As sugestões de pesquisa são parcialmente influenciadas pelas pesquisas efetuadas por outros utilizadores, o que significa que podem inadvertidamente perpetuar estereótipos e afirmações falsas.

Sugestões de pesquisas sobre Eva Biaudet
Sugestões de pesquisas sobre Eva BiaudetCheckFirst/Faktabaari

Segundo o relatório, algumas destas sugestões não eram aleatórias, mas sim relacionadas com pesquisas efetuadas e vídeos produzidos sobre os indivíduos, e muitas delas eram negativas ou problemáticas.

As sugestões de pesquisa eram frequentemente acusatórias ou críticas em relação a políticos, como "vira-casaca" para Mauri Peltokangas, deputado do Partido Finlandês de extrema-direita, e "raptor de crianças" para Pekka Haavisto, deputado da Liga Verde, de centro-esquerda.

Tudo isto criou potencialmente um preconceito na forma como o público os vê e é particularmente perigoso em vésperas de eleições, como foi o caso do conteúdo em finlandês no período que antecedeu as eleições europeias.

De uma forma mais geral, os resultados de pesquisa do TikTok continham linguagem prejudicial contra grupos marginalizados, incluindo mulheres, judeus e a comunidade LGBT, de acordo com o relatório.

As sugestões para "mulheres" incluíam "para a cozinha" e "cala a boca", enquanto outras frases de preenchimento automático propostas eram "povo cigano rouba" e "refugiados fora".

Sugestões de pesquisas
Sugestões de pesquisasCheckFirst/Faktabaari

Estas sugestões agravam o discurso de ódio, diz o relatório, acrescentando que o TikTok não está a fazer o suficiente para combater o fanatismo na sua plataforma.

Houve também sugestões polémicas relacionadas com a COVID-19.

"Malefícios da vacina" e "medo da vacina" foram dois exemplos e, embora geralmente levassem a vídeos de especialistas a desmistificar questões, o conteúdo que discute os supostos perigos das vacinas ainda conseguir escapar.

Sugestões de pesquisa sobre vacinas
Sugestões de pesquisa sobre vacinasCheckFirst/Faktabaari

O relatório afirma que a presença destes vídeos sugere que as medidas do TikTok contra a desinformação precisam de ser analisadas e que a plataforma deve moderar as suas sugestões de pesquisa.

Dado que cada vez mais pessoas obtêm as suas notícias através das redes sociais, é crucial que estas disponham de medidas para combater o discurso nocivo e enganador.

PUBLICIDADE

"As recomendações baseiam-se em parte nas hashtags, e mesmo as hashtags raramente utilizadas acabam por ser sugestões de pesquisa", afirmou Guillaume Kuster, cofundador da CheckFirst, numa declaração escrita. "Isto significa que os resultados da pesquisa podem ser facilmente influenciados pela automatização de vídeos com hashtags específicas".

"O TikTok também deve explorar outras formas de direcionar os utilizadores para informações eleitorais precisas, uma vez que rotular vídeos como conteúdo eleitoral é claramente insuficiente. O TikTok poderia oferecer aos utilizadores informações sobre as eleições e lembretes para votar, à semelhança de outras plataformas [sic]", acrescentou.

Um porta-voz do TikTok disse ao The Cube: "Dedicamos recursos significativos para proteger a integridade de nossa plataforma durante as eleições, incluindo conectar nossa comunidade a informações confiáveis em nossos Centros de Eleições e remover pesquisas prejudiciais e outras violações de nossas políticas".

"Investimos continuamente na melhoria e no fortalecimento de nossos processos, inclusive nos idiomas locais", acrescentou o porta-voz.

PUBLICIDADE
Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Vitória da aliança de esquerda surpreende. Quem são os vencedores e os vencidos em Paris?

Os partidos apresentaram candidatos falsos nas eleições gerais no Reino Unido?

Verificação de factos: a mulher de Zelenskyy gastou 4 milhões de euros num Bugatti?