Greves em Heathrow: British Airways cancela 32 voos por dia nas férias da Páscoa

As greves de trabalhadores do Aeroporto de Heathrow vão afetar as deslocações de milhares de pessoas nas férias da Páscoa
As greves de trabalhadores do Aeroporto de Heathrow vão afetar as deslocações de milhares de pessoas nas férias da Páscoa Direitos de autor AP Photo/Alberto Pezzali
Direitos de autor AP Photo/Alberto Pezzali
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

Férias da Páscoa perturbadas por greves em Heathrow. British Airways vai cancelar dezenas de voos com partida e chegada a este aeroporto londrino

PUBLICIDADE

A greve dos agentes de segurança forçará a British Airways a cancelar cerca de 32 voos diários do aeroporto de Heathrow durante as férias da Páscoa.

Mais de 1.400 guardas da segurança no aeroporto mais movimentado do Reino Unido escolheram o período das férias da Páscoa para a greve, na luta por aumentos salariais. 

Os trabalhadores do Terminal 5, o principal portal da British Airways (BA), iniciam uma paralisação de 10 dias, a partir de 31 de março.

A BA irá reduzir os seus voos em 5% nestes dias. No total, mais de 300 voos serão cancelados durante este movimentado período.

Outras companhias aéreas que voam a partir de Heathrow também poderão ser afetadas.

Porque é que os seguranças de Heathrow estão em greve?

A greve é o resultado de uma votação dos trabalhadores da Unite, que na semana passada decidiram  rejeitar a oferta do aeroporto de um aumento salarial de 10%. Após anos de congelamento e cortes salariais, e com a inflação nos 13,4%, o sindicato argumenta que a aceitação da proposta resultaria num corte salarial em termos reais.

A secretária-geral do sindicato, Sharon Graham, diz que os trabalhadores de Heathrow estão a auferir "salários de miséria enquanto o chefe executivo e os gestores de topo gozam de enormes salários".

Graham acrescenta que os membros do Unite são "simplesmente incapazes de fazer face às despesas devido aos baixos salários" e estão a lutar "por à necessidade e não por ganância".

O aeroporto contesta esta necessidade, dizendo que a proposta salarial que fez é justa, e que "ameaçar arruinar as férias duramente merecidas das pessoas com ações de greve não melhorará o acordo".

Um segurança em Heathrow recebe 24.000 libras, cerca de 27.400 euros por ano, de acordo com o sindicato.

A Heathrow Airports Limited (HAL) alega que o seu pessoal recebe pelo menos o London Living Wage - Salário Vital de Londres, enquanto o salário inicial de um agente de segurança seria de 27.754 libras (31.700 euros) se a sua oferta de 10% fosse aceite. A HAL insta a Unite a voltar à mesa de negociações.

Como serão impactados os voos da Páscoa a partir de Heathrow?

A British Airways disse que "lamenta" e oferece alternativas: "Pedimos desculpa aos clientes cujos planos de viagem foram afetados e oferecemos-lhes uma série de opções, incluindo a reserva de um novo voo connosco ou com outra companhia aérea, ou o pedido de reembolso total", disse um porta-voz da companhia.

O sindicato advertiu os viajantes sobre a possibilidade de longas filas de espera.

"A greve causará enormes perturbações e atrasos em Heathrow durante toda a Páscoa", afirma o oficial coordenador regional do Unite,  Wayne King.

Mas Heathrow diz que serão implementados planos de contingência para assegurar que o aeroporto permaneça aberto.

Numa declaração, a HAL assegurou aos passageiros que o aeroporto estará "aberto e operacional apesar de ameaças desnecessárias de greve por parte da Unite".

Os guardas de segurança que estarão em greve incluem os responsáveis pelo controlo de toda a carga que entra no aeroporto. Por isso, é provável que Heathrow tenha de deslocar recursos de outras áreas.

Isto pode significar que as filas de espera são mais longas do que o normal, tornando aconselhável chegar ao aeroporto com bastante tempo.

PUBLICIDADE

Os trabalhadores do Serviço de Passaportes também estão em greve durante a Páscoa

Outra greve britânica que poderá também ter impacto nas viagens da Páscoa, e ameaça ter um impacto ainda mais duradouro é a dos trabalhadores do serviço de passaportes.

No início deste mês, 1.000 trabalhadores da Agência de Passaportes anunciaram que irão entrar em greve durante cinco semanas, no próximo mês.

Os membros do sindicato dos Serviços Públicos e Comerciais (PCS) que trabalham em toda a Inglaterra, Escócia e País de Gales vão parar de 3 de abril a 5 de maio, seguidos pelos trabalhadores de Belfast de 7 de abril a 5 de Maio.

A ação coletiva deve-se a uma disputa sobre postos de trabalho, salários e condições de trabalho, e é cronometrada para causar perturbações em massa.

Teme-se que os passaportes de algumas pessoas não sejam processados a tempo para as suas férias de verão.

PUBLICIDADE

Segundo o perito em viagens Simon Calder, nas horas de ponta o Serviço de Passaportes recebe até 250.000 pedidos por semana. Totalizado, isso significa que mais de um milhão de pedidos poderão ser feitos durante o período de greve.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Como obter um dos 35 mil passes de comboio gratuitos para jovens este verão

Aeroporto de Dublin poderá quebrar tradição de 76 anos de bênção de aviões

Comboio noturno liga quatro capitais europeias da Bélgica à Chéquia