Vídeo

euronews_icons_loading
Pinguins no zoo de São Francisco

A Marcha dos Pinguins voltou ao zoo de São Francisco

A Marcha anual dos Pinguins, um dos eventos mais populares do Zoo de São Francisco, regressou ao Zoo e Jardins da cidade, este sábado, 6 de agosto.

Este ano, cinco adoráveis pinguins de Magalhães - duas fêmeas e três machos que eclodiram entre meados de abril e maio - balançaram e caminharam, passando por centenas de animados convidados, antes de darem o seu primeiro mergulho na sua nova casa na Ilha dos Pinguins.

Os pintos pinguins que acabaram de se formar em "cardume de peixes", onde lhes ensinaram a comer peixes inteiros, a nadar e a conviver com os seus cuidadores, juntaram-se aos 54 pinguins residentes do Zoo, elevando a população total na Ilha dos Pinguins para 59 exemplares.

Convidados de honra deram nomes a cada um dos pintos pinguins. O Cônsul Geral da Ucrânia, Kushneruk Dmytro, escolheu o nome, "Nadiya" para uma das fêmeas. Duas outras receberam os nomes de um doador do Zoo, "Ginger" e "Hingaling". Um quarto nome é um aceno para as raízes chilenas dos pinguins, "Agua", salientando a importância da água, e o nome do último ainda não foi determinado.

Os pinguins de Magalhães (Speniscus magellanicus) estão situados nas costas da Argentina e do Chile e estão listados como quase ameaçados, devido à ameaça de derrames de petróleo e ao declínio das populações de peixes.

O zoo de São Francisco mantém as maiores e mais bem sucedidas colónias reprodutoras de pinguins de Magalhães a viver sob cuidados humanos, participando num Plano de Sobrevivência de Espécies para pinguins de Magalhães, coordenado a nível nacional através da Associação de Zoos e Aquários (AZA).