Jerzy Buzek: "Não podemos discriminar uma qualquer minoria, só por ser uma minoria"

Jerzy Buzek: "Não podemos discriminar uma qualquer minoria, só por ser uma minoria"
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

O presidente do Parlamento Europeu, Jerzy Buzek, visitou o Centro Europeu de Direitos dos Ciganos, em Budapeste. Aproveitou para apoiar a Comissão Europeia na polémica sobre a expulsão de ciganos e destacou a importância de tratar a questão no quadro europeu de luta contra a pobreza e a exclusão.

Sergio Cantone, euronews: Porque é que visitou esta organização? É importante para si?

Jerzy Buzek, presidente do Parlamento Europeu: Bem, queria mostrar-me solidário com o povo cigano, porque vive frequentemente na pobreza e é vítima da exclusão social. È muito importante simbolizar a nossa ligação com todos os cidadãos europeus.

euronews: É uma espécie de mensagem que quer enviar. É uma mensagem política para a União Europeia?

J. Buzek: Se me pergunta acerca da mensagem, posso dizer que deveríamos resolver os problemas das pessoas que fazem face à pobreza e à exclusão social. Normalmente, as pessoas que vivem nestas condições fazem parte de uma minoria. Por isso, não é apenas um problema de um único país e de uma única minoria, mas sabemos bem que devemos começar a resolvê-lo.

euronews: Pensa que há países da União Europeia que estão a trabalhar de forma apropriada quando se trata do problema dos ciganos?

J. Buzek: Não gostaria de abordar a questão dessa forma, porque, penso que temos problemas com muitas pessoas que vivem na pobreza e sofrem a exclusão social. Devemos tratá-la de forma mais abrangente e geral, mas as minorias estão, muitas vezes, numa posição especialmente fraca.

euronews: Pensa que o facto de expulsar a população cigana a viver noutros países da União Europeia, não no país de origem, é a boa forma de lidar com o problema?

J. Buzek: Como sabe, devemos manter também um equilíbrio entre muitas questões e os nossos cidadãos esperam de nós algo desse género….

euronews: O quê?

J. Buzek: O quê? Não podemos discriminar uma qualquer minoria, só por ser uma minoria. A União Europeia tem Tratados e leis e a Comissão Europeia é a guardiã da lei comunitária.

euronews: Sim, mas o Parlamento Europeu assumiu uma posição clara. O que pensa sobre isso? É presidente do Parlamento Europeu…

J. Buzek: É comum que o Parlamento Europeu seja duro e intransigente do ponto de vista dos direitos humanos. É muito positivo, porque é um direito básico, e a abertura de um processo por parte da Comissão Europeia é um sinal importante de que estamos do lado da lei.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Borrell afirma ter “a certeza” que Rússia vai tentar interferir nas eleições europeias

Parlamento Europeu quer colocar desinformação russa na agenda da sessão plenária em Bruxelas

Estão os recursos da União Europeia à altura das suas ambições?