EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Pobreza ameaça dois milhões de portugueses

Pobreza ameaça dois milhões de portugueses
Direitos de autor 
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
PUBLICIDADE

A probreza é a mais severa ameaça para a população portuguesa, segundo números publicados pelo Instituto Nacional de Estatística, referentes ao estudo dos rendimentos, em 2012.

A situação agravou-se, em relação aos anos anteriores, atingindo agora, de forma muito especial, as famílias com crianças.

Em números gerais, quase 20 por cento dos portugueses (18.7) correm o risco de cair na pobreza, o que em valores absolutos se traduz por dois milhões.

As famílias com crianças, com 22.2 por cento, são um dos setores mais preocupantes. Pior, só mesmo os desempregados, onde a taxa de risco se cifra nos 40.2 por cento.

Para além das críticas feitas no parlamentgo pelos partidos da oposição, surgiram também algumas chamadas de atenção. A primeira veio do Presidente da República, ao dizer que os sacrifícios impostos pelo programa de ajustamento não podem recair sempre sobre os mesmos extratos da população.

Também o presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso, disse, numa entrevista recente, que avisou várias vezes o Governo, para a necessidade de não ultrapassar certos limites, com a política de austeridade.

O fosso entre os 10 por cento mais pobres e os 10 por cento mais ricos também se agravou.

Como consequência, as taxas de natalidade continuam em queda livre, admitindo-se que, em 2030, metade dos portugueses tenha mais de 50 anos de idade.

Outro dado importante: até 2060, Portugal pode perder dois milhões de habitantes, como consequência da emigração e da baixa natalidade.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Abstenção e desconhecimento sobre a UE serão teste às eleições europeias em Portugal

Novo aeroporto em Alcochete vai chamar-se Luís de Camões e Alta Velocidade está a caminho

Chega acusa Presidente da República de "traição à pátria, coação e usurpação"