Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

EUA acusam Coreia do Norte de ciberataque contra Sony

EUA acusam Coreia do Norte de ciberataque contra Sony
Tamanho do texto Aa Aa

Os Estados Unidos acusam a Coreia do Norte de estar por detrás do ciberataque ao estúdios da Sony Picture cujo filme “ A entrevista” parodia o líder comunista, Kim Jong Un

Apesar do isolamento, Pyoniang tem desenvolvido recursos para travar uma guerra sofisticada a partir do projeto chamado Bureau 121.

A denúnica foi efetuada por um desertor norte- coreano, antigo professor de informática refugiado, desde 2004, na Coreia do Sul: “Os ciberpriratas são as mais talentosas pessoas na Coreia do Norte. São a classe de colarinho branco na sociedade norte-coreana, os que recebem um tratamento melhor e são mais respeitados na sociedade.”

Esta unidade – Bureau 121 – compreende cerca de 1.800 ciber-guerreiros, e é considerada a elite das forças armadas.

A Sony Pictures oficializou o cancelamento da estreia do filme, prevista para 25 de dezembro, depois de grandes cadeias de cinema nos EUA terem recusado exibir a película, no seguimento de uma série de graves ameaças realizadas pelo grupo que assumiu a responsabilidade pelo ataque, denominado “Guardiões da Paz”.

“Eu acho que quando a ameaça muda do mundo virtual para o mundo físico, os dominós começam a cair, porque antes, quando era apenas ciberataque não havia realmente pessoas em perigo mas agora pode haver. Uma vez que a ameaça muda para o mundo físico ficamos mais vulneráveis e há que tomar decisões e fazer escolhas”

Sony Pictures, unidade da Sony Corp do Japão, é o distribuidor de “A Entrevista”, uma comédia que ficciona um complô para assassinar o líder norte-coreano Kim Jong Un.

A Coreia do Norte descreveu o filme como um “ato de guerra”.