Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Tunísia: segunda volta das presidenciais encerra ciclo de transição política

Tunísia: segunda volta das presidenciais encerra ciclo de transição política
Tamanho do texto Aa Aa

Na contagem decrescente para a segunda volta das eleições presidenciais, a Tunísia prepara-se para encerrar o capítulo da transição política despontado com a revolução de 2011.

O presidente cessante Moncef al-Marzouki e o líder do partido anti-islamita, Beji Caid Essebsi, voltam a medir forças este domingo. Mantém-se o suspense, porque apesar do favoritismo de Caid Essebsi, que conseguiu 39,46% dos votos na primeira volta, podem surgir surpresas.

Moncef al-Marzouki obteve 33,43% dos votos na primeira ronda.

Esta é a primeira vez, desde a independência, em 1956, que os tunisinos elegem livremente o chefe de Estado do país.

Durante a campanha, Marzouki, um médico de formação e ativista dos direitos humanos, aproveitou todas as oportunidades para apresentar o rival como uma figura do antigo regime.

O histórico opositor ao regime do chefe de Estado deposto Ben Ali viveu anos no exílio em França. Regressou à Tunísia depois da revolução de 2011 e foi eleito presidente interino pela Assembleia Constituinte.

A segunda volta das presidenciais entre os veteranos é o espelho da polarização profunda da sociedade tunisina entre seculares e islamitas.

Uma divisão que não afetou a realização, no final de outubro, das eleições legislativas e da primeira volta das presidenciais, consideradas transparentes e pluralistas pelos observadores internacionais.

A Tunísia debate-se com problemas de segurança, com a presença de extremistas no território. Recentemente, um grupo de jihadistas ameaçou, através de um vídeo, boicotar as eleições com derrame de sangue. Ao mesmo tempo reivindicou o assassínio em 2013 de dois opositores tunisinos.