Última hora
This content is not available in your region

Washington rejeita fechar as portas aos refugiados cubanos

Washington rejeita fechar as portas aos refugiados cubanos
Tamanho do texto Aa Aa

Uma reunião produtiva e construtiva em Havana. Estados Unidos e Cuba saudaram o resultado do primeiro dia de diálogo bilateral, após o anúncio do restabelecimento das relações diplomáticas, em Dezembro.

Um encontro para discutir a revisão dos acordos migratórios, durante o qual os dois países mantiveram as divergências, em especial sobre a lei que permite aos refugiados cubanos serem acolhidos nos Estados Unidos.

Para a responsável da delegação cubana, Josefina Vidal, “a manutenção da chamada política de pés secos, pés molhados e a lei de ajustamento continua a ser o principal estímulo à imigração ilegal e ao tráfico de imigrantes”.

Os Estados Unidos tinham já afirmado não estarem dispostos a suprimir a lei. Uma divergência que não deverá perturbar as discussões desta quinta-feira, dedicadas à reabertura das embaixadas e ao restabelecimento das relações diplomáticas, sobre a antiga fronteira da guerra fria.