Última hora
This content is not available in your region

Operação turca na Síria justificada por risco de ataque

Operação turca na Síria justificada por risco de ataque
Tamanho do texto Aa Aa

O Exército turco começou a construir o novo mausoléu de Suleyman Shah, avô do fundador do Império Otomano, junto à localidade síria de Eshme, controlada pelas forças curdas, a escassos 200 metros da fronteira com a Turquia.

A operação militar do fim-de-semana para evacuar e destruir a antiga localização foi classificada por Damasco como uma “agressão flagrante”.

O primeiro-ministro turco disse, este domingo, que “ninguém deve duvidar do poder e determinação da Turquia. Onde quer que exista uma única pedra que represente uma parte da herança turca, [as forças turcas têm] o dever de protegê-la”.

Ancara apoia-se no tratado bilateral de 1921 assinado com a França – que ocupava então a Síria – para reclamar a soberania sobre a área do mausoléu. Da localização inicial, junto ao castelo de Jaber, a tumba tinha sido transladada, nos anos 70, para os arredores da aldeia de Karakozak.

A área estava rodeada pelos combatentes do grupo extremista Estado Islâmico e o receio de um ataque foi a justificação dada pelas autoridades turcas para a operação militar, a primeira incursão em território sírio desde o início da guerra civil.