Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Estado Islâmico destrói espólio arqueológico milenar

Estado Islâmico destrói espólio arqueológico milenar
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O autodenominado Estado Islâmico destruiu parte do espólio arqueológico do museu de Mossul, no Iraque. A organização extremista publicou um vídeo nas redes sociais que demonstra como os militantes reduziram a pedras estátuas da época assíria datadas dos séculos nono e sétimo antes de Cristo, assim como manuscritos milenares.

O grupo terrorista justificou a ação com a vontade do profeta. Maomé mandou “destruir estátuas e relíquias, e os seus companheiros fizeram o mesmo nas terras que conquistaram” – afirma um jihadista no vídeo. As imagens não puderam ser confirmadas pelas agências noticiosas, que apontam finais de janeiro como eventual data de filmagem. O Estado Islâmico conquistou a cidade iraquiana de Mossul em junho do ano passado.

Estes atos recordam a destruição dos Budas de Bamiyan, no Afeganistão, em março de 2001, pelos talibãs. Atualmente está em curso a reconstrução das duas estátuas de 38 e 58 metros.