Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Paquistão rejeita intervenção militar no Iémen

Paquistão rejeita intervenção militar no Iémen
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O parlamento do Paquistão votou contra uma intervenção militar no Iémen. A rejeição do pedido de Riade põe fim às esperanças da Arábia Saudita, que esperava contar com um aliado de peso de maioria sunita para contrariar a influência do Irão xiita, que apoia os rebeldes hutis que controlam grande parte do território iemenita.

Aproveitando o caos no país, o ramo da Al-Qaeda na Península Arábica – grupo sunita – efetuou um novo ataque suicida contra um edifício usado pelas milícias hutis, no centro do Iémen.

Apesar da violência, os primeiros dois aviões com assistência humanitária conseguiram aterrar esta sexta-feira na capital, Saná. O carregamento incluía 32 toneladas de ajudas médicas e bens de primeira necessidade enviados pela UNICEF e pela Cruz Vermelha Internacional.

Saná voltou também a ser o palco de manifestações que reuniram milhares de apoiantes da rebelião huti, para protestar contra os bombardeamentos da coligação liderada pela Arábia Saudita. A ONU reclamou uma “pausa humanitária” nos combates para assistir a população civil.