EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Austrália: Sem vacinas não há subsídios

Austrália: Sem vacinas não há subsídios
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

A Austrália vai retirar os subsídios a pais que recusem vacinar os filhos. O parlamento tem de aprovar a medida, mas a oposição apoia-a, e deve

PUBLICIDADE

A Austrália vai retirar os subsídios a pais que recusem vacinar os filhos. O parlamento tem de aprovar a medida, mas a oposição apoia-a, e deve entrar em vigor em 2016.

Até aqui, ao abrigo da lei, os pais “objetores de consciência” podiam requerer os apoios. Com a nova lei não.

A questão é polémica mas o Primeiro-ministro não recua e explica o que se vai passar a partir daqui:

“Sim, as pessoas podem, se quiserem, não vacinar as suas crianças mas, se elas não forem vacinadas, excluindo questões religiosas e de cariz médico, não estarão qualificadas para receber os benefícios estatais correspondentes. Basicamente, o que isto quer dizer, é que sem vacina não há pagamento por parte do governo.”

A Organização Mundial de Saúde tinha apelado, aos países europeus, para “intensificarem a vacinação contra o sarampo, em grupos etários em situação de risco”, depois do ressurgimento da doença, também nos Estados Unidos.

Do lado dos pais há quem defenda que as vacinas como a tríplice VSPR – contra o sarampo, papeira e rubéola – estão relacionadas com os crescentes casos de autismo. Teoria refutada em diversos estudos.

A Austrália tem taxas de vacinação, em crianças entre um e cinco anos, superiores a 90%. Ainda assim, dados oficiais dão conta de que mais de 39 mil crianças, com menos de sete anos, não foram vacinadas.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Incêndio de grandes proporções afeta empresa farmacêutica dinamarquesa Novo Nordisk

Homem que recebeu rim de um porco teve alta hospitalar

Canábis pode ajudar a travar cancro da pele