EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Migração ilegal: UE debate formas de acabar com as mortes no Mediterrâneo

Migração ilegal: UE debate formas de acabar com as mortes no Mediterrâneo
Direitos de autor 
De  Francisco Marques com Lusa
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

A União Europeia está a debater, esta quinta-feira, em Bruxelas, as medidas que poderão vir a ser tomadas para acabar com as tragédias que tem vindo

PUBLICIDADE

A União Europeia está a debater, esta quinta-feira, em Bruxelas, as medidas que poderão vir a ser tomadas para acabar com as tragédias que tem vindo a avolumar-se este ano no mar Mediterrâneo provocadas pela excessiva migração ilegal rumo à Europa.

Esta é uma cimeira extraordinária, na qual está presente o primeiro-ministro português, Pedro Passos Coelho, ao lado, por exemplo, da chanceler alemã Angela Merkel e do congénere italiano Matteo Renzi, o responsável pela realização desta reunião especial de líderes europeus. O pedido foi feito após o naufrágio de sábado à noite, que envolveu um cargueiro de bandeira portuguesa e, no qual, terão morrido mais de 800 pessoas.

#migrationEU: in both short & long-term, we are working towards a European Agenda on Migration (for mid-May) #EUCOhttps://t.co/j7QSTjJlIy

— European Commission (@EU_Commission) 23 abril 2015

Os “28” estão a analisar toda a problemática da migração clandestina para a Europa, que tem vindo a afetar diretamente países como a Itália, a Grécia ou a Roménia. Um dos pontos a merecer especial atenção será, com certeza, o lucrativo negócio das redes de tráfico que gerem as perigosas travessias marítimas sem respeito pelas vidas humanas.

À entrada para a reunião, Angela Merkel afirmou que estão em causa os valores e a credibilidade da Europa. “Este é uma tema de enorme importância para o salvamento de vidas humanas”, sublinhou a chanceler.

#Mediterranean. #EUCO leaders to work today on our 10 point Action Plan #MigrationEUpic.twitter.com/I7qgfZAzJw— European Commission (@EU_Commission) 23 abril 2015

Só este ano, são já mais de 1700 as pessoas que morreram a tentar chegar por mar à Europa, oriundas do norte de África ou do Médio Oriente. Durante o ano passado, cerca 170 mil pessoas terão tentado cruzar o Mediterrâneo, dos quais mais de 3200 morreram no mar.

A Amnistia internacional exige mais ação e menos palavras à União Europeia.

Voluntad política es lo único que falta para detener ya las muertes en el Mediterráneo http://t.co/4JL5BQNONdpic.twitter.com/DeGLbp4UUo

— Amnistía (@amnistia) 22 abril 2015

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Imigração: um sonho chamado "Europa"

Cerimónia em La Valette pelos imigrantes mortos no Mediterrâneo

Cartoons: "é a rir que se castigam os costumes"